Reitoria Guida Aquino pede apoio de bancada do Acre em Brasília

Aquino apresentou à bancada do Acre os impactos do corte de 30% no orçamento da Ufac pedindo apoio dos parlamentares para reverter a medida anunciada pelo governo federal – Foto: Ascom Ufac

Em luta pela única universidade pública acreana, a reitora Guida Aquino e o pró-reitor de Planejamento, Alexandre Hid, apresentaram nessa terça-feira, 14, em Brasília, para a bancada do Acre, os impactos do corte de 30% no orçamento da Ufac, pedindo apoio dos parlamentares para reverter a medida anunciada pelo governo federal.

Durante o encontro, Hid detalhou planilhas com os custos de manutenção da Ufac e o forte impacto causado no funcionamento da instituição pelo corte de R$ 15 milhões. Também explicou que a universidade havia reduzido custos no começo do ano. “Já começamos o ano com um deficit de R$ 5,7 milhões, por causa de reajustes de contratos, inflação, entre outros fatores.”

O valor para manter a instituição funcionando mensalmente é de R$ 2,750 milhões. “Com o corte, temos R$ 2,250 milhões por mês. Então temos um deficit mensal de R$ 500 mil”, informou o pró-reitor. “Com esse problema, não temos mais como continuar. No dia 31 de julho, quando termina o primeiro semestre letivo, a universidade fecha as portas caso esse corte anunciado pelo governo seja mantido.”

Sem verbas, além da suspensão das aulas, serão cancelados contratos com empresas terceirizadas, o que vai impactar diretamente 350 postos de trabalho, o funcionamento do Restaurante Universitário e as ações de ensino nos municípios. “Por isso, precisamos de união e de todo apoio possível, principalmente dos nossos parlamentares”, concluiu a reitora Guida Aquino.

Os deputados e senadores presentes confirmaram apoio à universidade e se comprometeram em acompanhar a reitora da Ufac com visitas ao Ministério da Educação (MEC) e ao Ministério da Economia. “Emergencialmente, o que pode ser feito? Já vi que a Ufac vem fazendo sua parte, cortando gastos”, disse o deputado Alan Rick (DEM). “Então, os parlamentares podem fazer pleitos. Efetivamente podemos ir ao MEC e lutar pela nossa universidade; também podemos apresentar nossas propostas.”

O senador Sérgio Petecão (PSD) ressaltou que a Ufac é nota 4, de uma escala que vai até 5, e uma das melhores da região Norte. “Eu quero que a nossa universidade alcance nota máxima e seja referência em todo o país.”

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB) confirmou que vai lutar pela educação pública no Acre e expressou seu descontentamento com a política de cortes na educação do Brasil. “Eu discordo daqueles que, para justificar esses cortes do governo, como o ministro da Educação, passem a atacar as universidades públicas”, protestou. “Em outros anos, estaríamos discutindo a expansão da universidade pública; agora estamos discutindo se a universidade vai fechar.”

A reunião ocorreu na plenária 6 do Senado, com a participação dos deputados federais Alan Rick, Perpétua Almeida, Jéssica Sales (MDB), Vanda Milani (Solidariedade), Jesus Sérgio (PDT), Manuel Marcos (PRB) e Flaviano Melo (MDB); e dos senadores Sérgio Petecão, Márcio Bittar (MDB) e Mailza Gomes (PP).

Ascom Ufac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *