Geral

    Fobias: 5 medos que as pessoas têm e você nem imaginava

    O medo, em doses controladas e equilibradas, é essencial para a sobrevivência. Sem ele, o ser humano correria muito mais riscos voluntariamente e, em muitas ocasiões, certamente colocaria a própria vida em jogo. No entanto, quando o medo de algum objeto, animal, situação, condição ou atividade é exacerbado ou irracional, ele passa a ser considerado uma fobia. 

    A fobia causa reações físicas e psicológicas e pode comprometer seriamente a qualidade de vida de quem a possui. Existem diversos tipos de fobias, que são classificadas em cinco categorias pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Doenças Mentais: animais (aranhas, cobras, lagartos, baratas, sapos, etc.); sangue, injeções ou feridas; aspectos do ambiente natural (trovões, raios, terremotos, etc.); situações (altura, andar de avião, de carro, elevador ou metrô, etc.) e outros tipos (medo de vomitar, contrair doenças, etc.). 

    Listamos abaixo cinco entre as muitas fobias que afetam seriamente as pessoas. Saiba mais sobre elas.

    Tanatofobia

    A tanatofobia é o medo extremo da morte e de tudo que cerca o assunto. Da presença de símbolos que são vistos normalmente como homenagens e reverência a quem partiu, como uma coroa para velório, até a simples escuta de uma história que contenha alguma informação sobre a simples possibilidade de falecimento, o tanatofóbico pode ter reações físicas intensas, como sudorese, taquicardia, tremores, e até desmaios.

    Crematofobia

    A crematofobia caracteriza-se pelo medo irracional do dinheiro. Também chamada de crometofobia, ela desperta nos indivíduos um imenso medo relacionado ao poder do dinheiro, sobre como ele pode corromper pessoas, por exemplo. As pessoas que possuem essa fobia tende a realizar ações inconscientes para perder, desperdiçar ou não ganhar dinheiro.

    Onfalofobia

    A onfalofobia caracteriza-se pelo medo e aflição de umbigos. É um medo visto como uma simples aflição, mas que causa extremo desconforto em quem tem a fobia. O simples ato de ver ou mesmo tocar o próprio umbigo pode causar reações variadas, de vômitos a tonturas.

    Androfobia

    Esta fobia caracteriza-se como o medo extremo do sexo masculino em geral, e normalmente é resultado de algum evento traumático em uma idade precoce, como no caso de abusos.

    Triscaedecafobia

    É o medo extremo do número 13. Esta fobia está irracionalmente conectada ao espectro de “azar” ao qual o número está ligado.

    Se houver a sensação de que qualquer medo sentido em alguma situação específica é crescente e chega a atrapalhar a rotina, a recomendação é buscar ajuda com um psicólogo. Dessa forma é possível detectar o que originou a fobia e aprender a lidar com o problema.

     

    Image
    Image