Saúde

    Prefeitura de Rio Branco garante atenção à saúde mental durante a pandemia de Covid-19

    Mesmo durante o enfrentamento à pandemia de Covid-19, a Prefeitura de Rio Branco tem garantido aos usuários do Sistema Único de Saúde (Sus) o atendimento às demais demandas entre as quais o cuidado em saúde mental, por meio da integração da Rede de Atenção Primária em Saúde e da Rede de Atenção Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

    Para evitar a proliferação da contaminação pelo novo coronavírus nas unidades de atendimento, a equipe técnica teve que reinventar sua forma de trabalhar para não deixar os pacientes desassistidos e seguir o protocolo de cuidados recomendados pelas autoridades sanitárias. O acompanhamento tem se dado de forma remota, via telefone ou por meio da internet e aplicativos de mensagens, por onde continuam ativos os grupos terapêuticos.

    “Diante da situação pandêmica e para evitar aglomeração de pessoas, os grupos presenciais foram suspensos e as ações do Centro de Atenção Psicossocial foram restritas às intervenções em crise, acolhimento e atendimento individual”, disse a coordenadora da Divisão da Rede de Atenção Psicossocial, Analdemyra da Costa Moreira.

    Ela explicou também que durante a pandemia foi realizado um planejamento integrado com a construção do Plano de contingência frente à Covid-19 com definição de fluxos e protocolos para atendimento integrado às pessoas com sofrimento ou transtornos mentais leves e moderados. “Tristeza duradoura, ansiedade, insônia, medo excessivo, desesperança, irritação constante, desespero, isolamento social e incluindo aquelas com necessidades decorrentes do uso abusivo de álcool e outras drogas”, informou.

    A Rede de Atenção Psicossocial foi instituída no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) para o cuidado e proteção dos direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Uma das unidades da rede é o Centro de Atenção psicossocial (Caps II) Samaúma, localizado no bairro Morada do Sol que dispõe de médico psiquiatra, psicólogo, assistente social, técnicos de enfermagem, enfermeiros e voluntários, conforme explicou a coordenadora da unidade, psicóloga Emelym Daniela Souza.

    “Nosso olhar é para o ser humano enquanto ser integral. Olhamos para além da doença e estamos sempre de portas abertas para o acolhimento às pessoas em sofrimento seja os casos mais agravados de crise psiquiátrica, que é quando a pessoa tem que vir até o serviço para uma intervenção médica, ou seja aquelas pessoas que precisam de um acompanhamento livre por meio de terapias, que podem ser associadas à medicação ou não, quando não há necessidade. Priorizamos utilizar as Práticas Integrativas Complementares que são regulamentadas pelo Sus, as Pics.”, detalhou.

    Somente durante a Pandemia foram atendidas 145 pessoas que foram ao Caps pela primeira vez e realizados 738 procedimentos entre acolhimento, escuta qualificada, intervenção em crise, atendimento individual médico, psicológico e da assistência social além da aplicação de Práticas Complementares e Integrativas, atendimento individual e por grupos online.

    Atualmente estão cadastradas 2.596 pessoas no banco de dados do Caps Samaúma, inaugurado em novembro de 2018 pela prefeita Socorro Neri. O funcionamento da unidade é das 07h30 às 17 horas e a coordenadora informou ainda que caso a pessoa esteja em crise, o atendimento psicológico está sendo feito através do plantão psicológico pelo sistema de teleatendimento, podendo acontecer por meio do telefone 3223 9532.

    Para atendimento na unidade, neste período de pandemia, os profissionais utilizam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e aos usuários é orientada a utilização de máscaras, a higienização das mãos com álcool e o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas.

    Além dos Caps, a Rede de Atenção Psicossocial da Prefeitura de Rio Branco dispõe da Unidade de Acolhimento Adulto (UAA) e do Consultório de Rua para acolhimento psicológico por meio de aconselhamento e orientação, psicodiagnóstico, exame do estado mental e distribuição de materiais para prevenção de IST’s e de KIT de higiene e orientações para prevenção da Covid-19.

    Também são realizados atendimentos de enfermagem: glicemia capilar, testes rápidos de para hepatites (B e C), sífilis, HIV, teste rápido de gravidez, profilaxia de verminoses, administração de vacina, orientações educativas e preventivas, aferição de pressão arterial; administração de medicação específica para tuberculose, ou sífilis e outros de competência da enfermagem de acordo com os programas de Atenção Básica.

    Image
    Image
    Image