Saúde

    Adultos de 20 a 49 anos têm até dia 31 de agosto para se vacinarem contra sarampo em Rio Branco

    Vacina está disponível nos 52 postos de saúde da capital acreana, das 8h às 17h. Estado do Acre não tem nenhum caso registrado da doença

    Jovens e adultos de 20 a 49 anos têm até o próximo dia 31 de agosto para se vacinarem contra o sarampo na capital acreana, Rio Branco. Para isso, este público-alvo deve procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima.

    Essa é a única forma de prevenção contra a doença, que pode ser transmitida por meio de gotículas através da fala, tosse ou espirro de uma pessoa contaminada.

    A campanha de vacinação foi lançada no mês de março pelo Ministério da Saúde (MS), quando foram registrados os primeiros casos de Covid-19 no estado do Acre. Por isso, segundo a coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Socorro Martins, Rio Branco, assim como outras cidades, não aderiu à campanha.

    Foi no último dia 20 de julho que Rio Branco deu início às vacinações contra o sarampo. O público-alvo deve procurar um dos 52 postos de saúde entre os horários de 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

    Socorro informou que a procura tem sido muito baixa. Com base em orientação do MS, estão sendo vacinadas pessoas entre 20 e 49 anos de idade que já tomaram pelo menos uma vez na vida a vacina ou que jamais recebeu uma dose. Ela disse ainda que o ministério não divulgou o número esperado de pessoas para serem imunizadas.

    “Agora o Ministério da Saúde prorrogou essa campanha porque o Brasil todo chegou a pouco mais de 2% de cobertura e daí nós aderimos no dia 20 de julho. No Acre não temos nenhum caso de sarampo, mas em alguns estados brasileiros o vírus está ativo e agora estamos fazendo o chamamento desse público. Estamos com pouca procura até agora e é importante dizer que a ideia é imunizar os adultos para proteger as crianças”, disse Socorro.

    Isso porque, conforme a coordenadora, o adulto que pega o sarampo não costuma apresentar grandes complicações, mas, como se trata de uma doença de fácil contaminação, as crianças acabam pegando e nelas as consequências são mais danosas.

    “O sarampo é uma doença grave, que pode levar a óbito, o Brasil já tinha erradicado essa doença e ela retornou trazendo muito danos à saúde. Todas as pessoas dessa faixa etária, independentemente de já ter tomado a vacina ou não, se tem carteira ou não, pode se vacinar”, afirmou.

    Por conta da pandemia do novo coronavírus, a orientação é que as pessoas usem máscara ao procurar o posto de saúde para se vacinar. A coordenadora disse ainda que estão sendo tomadas uma série de medidas para evitar a contaminação pela Covid-19.

    “A orientação é que a vacina tem que ser rápida, as pessoas entram por um local e saem por outro para não ter esse contato, além do distanciamento para evitar aglomeração. Além disso, a unidade passa por higienização diária antes da abertura e a sala de vacina é higienizada após a saída de cada pessoa. São vários cuidados para evitar propagação da Covid-19 e para que as pessoas não tenham medo de procurar unidade para se imunizar”, concluiu.

    Sarampo

    Os sintomas do sarampo aparecem, em média, entre dez e 15 dias após a exposição ao vírus, depois de ter contato com uma pessoa infectada pelo vírus.

    Os sintomas mais comuns da doença incluem tosse, coriza, olhos inflamados, dor de garganta, febre e irritação na pele com manchas vermelhas.

    Imunização de 5 a 19 anos

    Em março deste ano, o público-alvo da campanha de vacina contra o sarampo era de crianças e adolescentes de 5 a 19 anos. A meta era imunizar 3,8 mil pessoas no Acre e, segundo os dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), 3.043 procuraram os serviços de vacinação desde o dia 10 de fevereiro. O número representa uma cobertura vacinal de pouco mais de 80%.

    Dos mais de três mil esperados, a Sesacre informou que 2.571 mil tinham idade entre 5 a 9 anos. Já dos 10 aos 19 anos eram esperados 1.227 mil adolescentes. Somando com o público menor de um ano de idade, mais de 16,7 mil crianças e jovens foram imunizadas em todo estado esse ano.

    Image
    Image
    Image