Polícia

    No AC, trio é condenado a 55 anos de prisão por matar homem degolado na Vila do Incra

    Defesa já recorreu ao Tribunal de Justiça e apresentou recurso no plenário após o julgamento

    Alexandre da Costa Lima, Adais Evangelista Gonçalves e José Roberto da Cruz Lima foram a júri popular nessa terça-feira (1º) e juntos foram condenados a 55 anos de prisão pela morte de Cristovão Nascimento, de 26 anos, em abril de 2017. O julgamento ocorreu na 1ª Vara Júri, em Rio Branco.

    Nascimento foi encontrado dentro de um açude, no dia 1º de abril de 2017, no Loteamento Estrela Dalva, na Vila do Incra, em Porto Acre. A vítima apresentava sinais de ferimentos na face e teve o pescoço quase degolado.

    No julgamento, que durou quase 10 horas, os acusados foram condenados pelo crime de homicídio e foram absolvidos da acusação de terem matado por se tratar de guerra entre grupos criminosos, segundo informou o advogado de defesa, Giliard Souza.

    Alexandre da Costa Lima foi condenado a 21 anos de prisão por conta dos antecedentes. Já Adais Evangelista Gonçalves e José Roberto da Cruz Lima, foram condenados a 17 anos de reclusão.

    O advogado de defesa disse que já recorreu da sentença no Tribunal de Justiça e apresentou recurso de apelação no plenário. Ele acredita que os três devem ir a novo julgamento.

    “A decisão foi absolutamente contraditória, manifestamente contrária à prova dos autos. O passado dos meus clientes foi o ponto central e não o fato propriamente dito. Respeitamos a decisão do conselho de sentença, contudo, recorremos ao TJ”, disse.

    A defesa dos três acusados disse que acredita na inocência deles e que as acusações ocorrem baseadas em suposições.

    Relembre o caso

    Na época do crime, a Polícia Militar informou que Nascimento poderia ter sido morto atrás do prédio de uma igreja evangélica que fica há aproximadamente 200 metros do local onde o corpo foi encontrado. A vítima foi arrastada e jogada no açude. O Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer a remoção do cadáver.

    Frequentadores da igreja contaram que ao abrirem a porta do local viram o sangue e acionaram a PM, que informou que a vítima apresentava cortes na face.

    Nascimento tinha sido preso, na época, antes de morrer, pela Polícia Militar da Vila do V, com duas armas de fogo e drogas, segundo informações da polícia.

    Image
    Image
    Image

    logo news2