Amazônia

Amazônia

Contag e Fetacre investem na sucessão rural jovem

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura– CONTAG, através da sua Secretaria de juventude e Federaçõesestaduais afiliadas, promoveu nos dias 21,22 e 23 de outubro, em Manaus,o Seminário Regional de Juventude Rural.

O objetivo do Seminário foi integrar os representantes estaduais, unir os participantes e estimular os jovens a colaborar na construção coletiva das pautas de reinvindicações a serem apresentadas no IV Festival Nacional da Juventude Rural com o tema “juventude na luta por democracia, soberania, respeito às diversidades, políticas públicas e sucessão rural” que ocorrerá em 2020.

A sucessão rural não é uma bandeira nova da juventude do campo. Em 2015 a Oficina de Diálogos do Plano Nacional de juventude e sucessão rural reuniu em Brasília lideranças jovens dos movimentos sociais rurais de todas as regiões do país, para formular e priorizar propostas para a categoria. Arealização do IV Festival Nacional daJuventude Rural, junto com a Marcha das Margaridas e o Grito da Terra, é uma estratégia de mobilizaçãodo Movimento Sindical dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares - liderados pela CONTAG - com o objetivo de destacar o protagonismo da juventude na luta por políticas públicas. É o momento dos jovens rurais mostrarem para a sociedade, sua cultura, suas demandas, seu entusiasmo e vontade de transformar a realidade do campo.

O Estado do Acre foi representado no Seminário por 10 jovens de vários municípios; dentreeles, Raimundo Mendes Barros Filho. Raimundinho, como é conhecido, 22 anos, é educador popular e agente de desenvolvimento local formado pela Escola da Floresta; filiado ao Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri- STTTR/Xapuri desde 2016, foi eleito Secretário Estadual de Juventude da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Acre - FETACRE (filiada à CONTAG e a CUT),que renovou quase toda a sua diretoriana recente eleição no dia 18 de outubro de 2019.

Carismático, de olhar arguto, Raimundinho cresceu ouvindo o pai, (Raimundo Barros), contar as histórias dos empates e da resistência dos seringueiros liderados por Chico Mendes - de quem é primo - aos turistas, pesquisadores e todo o tipo de gente que se aventura nas matas de Xapuri em busca das narrativas do Raimundão.

Ainda que orgulhoso de sua ancestralidade, diz ter suas próprias ideias e está ciente da responsabilidade do cargo para o qual foi eleito; por isso quer contribuir para que a juventude rural tome consciência do seu protagonismo político enquanto herdeiros de uma história de luta;não mais na condição de “simples seringueiros, aqueles que cortavam seringa”. Mas, agora, na condição de extrativistas. Comacesso a eletricidade, internet, acesso as redes sociais e usando carro, motocicleta e quadriciclo para ir à cidade de Xapuri. Sua luta é levar aos jovens trabalhadores rurais que cortam seringa, plantam açaí, coletam castanha e botam roçado, a compreensão de que é possível viver na floresta e da floresta com uma qualidade de vida(as vezes melhor que na cidade) e que é preciso lutar contra a política de desvalorização dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, incentivada pelo atual governo, federal e estadual.

Quanto a seus objetivos, parece que seu discurso já começou a ter resultados, pelo menos na sua própria casa. Seu irmão mais novo, Rian Azevedo Barros (18), que o acompanhou no Seminário em Manaus, voltou disposto a se filiar ao STTR-XP, deixou o curso de agroecologia que fazia no IFAC em Xapuri e voltou a morar na colocação Rio Branco, dentro da RESEX, onde vai cursar Biologia na modalidade EAD.

Com a chegada da internet na Reserva,uma antiga reivindicação dos moradores, jovens em sua maioria; agora é possível fazer uma curso superior sem ter que deixar suas colocações. Segundo Rian Barros, “a juventude rural não sabe o poder que tem” e sua atitude em retornar ao seringal é uma mostra de resistência ao agronegócio. “Esse negócio de ser peão de fazenda entre os jovens é uma tendência” que vai passar, assim como já passaram outros modismos decorrentes do processo de bovinização na Reserva, finalizou Rian.

Fetacre renova diretoria

Após vários anos sem executar ações significativas, a Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Acre – FETACRE, afiliada da CONTAG, realizou no dia 18 de outubro eleição,para a nova diretoria da entidade.

Eleito para o mandato dos próximos 4 anos, Antônio Sergine Freitas de Paiva (35), natural de Feijó; formado em Recurso Humanos pela UNOPAR, “Cabeça”, como é chamado pelos companheiros, vai acumular o cargo de Presidente com o de vereador pelo Partido do Trabalhadores – PT.

A nova diretoria toma posse no dia 7 de dezembro, mas cabeça já está realizando reuniões com os membros eleitos para afinar o discurso que vai levar aos trabalhadores da base para tentar reverter o distanciamento ocorrido nos últimos anos. Aliás, segundo ele, um grande desafio diante do cenário político do Brasil e das políticas públicas voltadas para a agricultura e seus trabalhadores.

O primeiro passo é a formação de uma equipe jovem, atuante, participativa e qualificada. Com poucos recursos e com uma estrutura física precisando de reformas, o novo presidente já está retomando o diálogo com a CONTAG, principalmente na área de Formação. A participação no Seminário Regional de Juventude Rural é uma demonstração de que a parceria continua forte.

O Segundo desafio será construir novas parcerias e a elaboração de projetos que possam captar recursos para a reestruturação da sede, localizada na Av. Getúlio Vargas, assim como a retomada às ações de campo, com as quaiscabeça espera trazer de voltas os sócios da Federação.

*Aluno do 1º período do curso de jornalismo da Ufac


gow banner p20