Condenado há 50 anos por matar bebê pega mais 12 anos por morte de homem

Talisson de Souza Teixeira já havia sido condenado a mais de 50 anos por morte de criança – Foto: Aline Nascimento/G1

Após ser condenado a mais de 50 anos pela morte do pequeno Thayson Júnior de Holanda, de 1 ano e 8 meses, Talisson de Souza Teixeira recebeu mais uma sentença por homicídio na última quinta-feira (11).

Em nova decisão do Tribunal do Júri, Teixeira foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado.

Dessa vez, Teixeira foi condenado pela morte de Deyvide da Silva Cavalcante, de 28 anos. A vítima morreu no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) no dia 13 de fevereiro de 2017, após ser atingida por ao menos três tiros. O crime ocorreu na rua Uirapuru, no bairro Cidade Nova em Rio Branco.

Conforme a Polícia, Cavalcante foi atingido por um disparo de arma de fogo no braço e outros dois tiros na altura do peito.

Ao G1, o advogado do acusado, Otoniel Turi, informou que a defesa não vai recorrer da decisão e que Teixeira confessou o crime.

“Não sei se o Ministério Público vai recorrer, mas nós não vamos. Ele assumiu a autoria do crime espontaneamente. Está preso há quase dois anos. Já tem essa condenação de 50 anos pela morte da criança, foi até recorrido pelo advogado da época, mas o tribunal manteve a decisão e esses anos agora por último são em regime fechado também”, disse o advogado.

Morte da criança

Teixeira já havia sido condenado a 50 anos, 2 meses e 20 dias de reclusão, em regime inicial fechado pela morte de Thayson com um tiro na cabeça.

O crime ocorreu na Rua Progresso, bairro Cadeia Velha, no dia 25 de fevereiro de 2017. Além da criança, um rapaz de 19 anos foi baleado e levado para o hospital na época. A criança dormia em uma rede em um da frente da casa onde morava quando foi atingida.

Conforme o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), Teixeira confessou a participação no crime com outras pessoas pertencentes a uma facção criminosa. De acordo com o acusado, eles efetuaram vários disparos de arma de fogo contra uma casa que seria de um integrante de facção rival.

Teixeira foi condenado por porte ilegal de arma de fogo, tentativa de homicídio contra duas pessoas que estavam no interior da casa, e pelo homicídio da criança. Ele foi absolvido do crime de corrupção de menores e não vai poder recorrer em liberdade.

Portal G1/AC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *