Começar de novo!

Foto: Cedida

Um núcleo de oposição ao governo Gladson Cameli (PP) já começa a tomar forma, ainda que de maneira não oficial. Pelo menos é o que deixa transparecer a reunião ocorrida nesse fim de semana, num encontro na casa do ex-senador Jorge Viana, como atesta a foto que ilustra as notas, onde reuniram-se uma quadra de petista de alto coturno.

Afinidades

Em postagem feita ontem na sua conta do Facebook, Jorge Viana relata que reencontrou Binho Marques, Raimundo Angelim e Marcus Alexandre. Jorge registra que o trio de interlocutores significa muito para ele, vez que irradiam muita emoção e lembranças e, também, repartem a preocupação, mas sobretudo a esperança e fé no Acre, no Brasil e na vida.

Serviços prestados

Viana relembra que com o grupo encarou dificuldades, vencendo desafios e promovendo mudanças no Estado. Regozija-se das companhias, atestando que dá orgulho a fantástica experiência de vida que o grupo congrega, trabalhando por Rio Branco e pelo estado do Acre.

A vida como ela é!

Da conversa, Viana relata um ponto em comum: “Temos muita preocupação com tudo que vem ocorrendo. Alguns que tanto se beneficiaram dos nossos governos – governos estes que foram corretos e republicanos -, posam de moralistas e justiceiros. Hipocrisia! Mas assim é a vida, e ela sempre traz novos desafios”.

Uma nova forma de caminhar!

Por fim, realça o início de uma nova caminhada: “Esse encontro e essa conversa, porém, veio para animar nossas forças e nossa fé que, ao final, a verdade vence e a luta vale a pena.”

Além da queda, o coice!

A prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino (PSD), continua em seu inferno astral. Com uma administração sofrível e mal avaliada pelos tarauacaenses, Marilete foi condenada pelo Tribunal de Contas do Estado do Acre a devolver aos cofres público valores que superam R$ 5,5 milhões.

Origem

A sentença remonta à prestação de contas do município no ano de 2011, período em que Marilete foi prefeita, após a cassação de Vando Torquato, que também foi condenado a devolver recursos ao erário.

Malversação

De acordo acordo com relatório do TCE, Vando Torquato – que cumpria gestão pelo segundo mandato entre 1º de janeiro a 24 de março de 2011 -, deverá pagar R$ 575,6 mil valores que remontam à dívidas remanescentes de sua administração de forma irregular, pela falta de demonstração de saldo não comprovado, concessão de diárias sem comprovação para o verdadeiro uso, impostos não pagos, infrações de trânsito, contribuições sociais não pagas e por emitir cheques sem a comprovação de efetivo serviços prestados.

Efeito cascata

Já Marilete Vitorino, que administrou a prefeitura entre 25 de março a dezembro de 2011, foi penalizada em cifra aproximadas de R$ 5 milhões em multas por ter deixado de apresentar provas sobre a destinação final do dinheiro público, tendo ainda recebido multas e infrações, por falta de comprovação do motivo do pagamento de diárias.

Instâncias

O caso ainda cabe recurso, mas caso a condenação às instâncias recorridas referendem o entendimento da Corte de Contas, Marilete e Torquatos terão que quitar o débito em no máximo 30 dias, sob pena da supressão de direitos políticos e outras sanções.

Retrato

O jornalista Guilherme Amado, articulista com endereço na revista Época, revela que ao criticar Olavo de Carvalho, o General Villas Boas, ex-comandante do Exército e atualmente assessor do Gabinete de Segurança Institucional, expôs publicamente como o generalato vê todo o núcleo ideológico do governo Bolsonaro.

Endereço

No dizer de Amado, o tuíte sobre Olavo de Carvalho disparado ontem, segunda-feira, pelo general Villas Bôas, ex-comandante do Exército e atualmente assessor do Gabinete de Segurança Institucional, foi para Jair Bolsonaro.

Visão compartilhada!

Ao criticar Olavo de Carvalho, Villas Bôas expôs publicamente como o generalato do Palácio do Planalto hoje vê, não só o escritor radicado nos Estados Unidos, mas todo o núcleo ideológico do governo Bolsonaro. Compartilham dessa opinião de Villas Bôas os generais Augusto Heleno, Alberto Santos Cruz e Hamilton Mourão. Fernando Azevedo e Silva, da Defesa, também.

Ordem unida!

O recado de Villas Bôas foi, implicitamente, para Bolsonaro, e teve o mesmo teor da recomendação feita há alguns meses para Jair Bolsonaro, pelo general Heleno, quando o presidente retornou a Brasília após sua cirurgia em São Paulo: tire Olavo de Carvalho de seu governo .

Inteiro teor

Ele escreveu no Twitter o general Villas Boas: “Mais uma vez o Sr. Olavo de Carvalho a partir de seu vazio existencial derrama seus ataques aos militares e as FAA demonstrando total falta de princípios básicos de educação, de respeito e de um mínimo de humildade e modéstia”.

Desentendimento de iguais

E segue: “Verdadeiro trotski de direita, não compreende que substituindo uma ideologia pela outra não contribui para a elaboração de uma base de pensamento que promova soluções concretas para os problemas Brasileiros. Por outro lado, age no sentido de acentuar as divergências nacionais no momento em que a sociedade Brasileira necessita recuperar a coesão e estruturar um projeto para o país.

Errando a mira!

Finalizando: “A escolha dos militares como alvo é compreensível por sua impotência diante da solidez dessas instituições e a incapacidade de compreender os valores e os princípios que as sustentam”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *