Cidade

    Toque de recolher passa a valer em cidade no interior do AC com 9 casos de Covid-19

    Decreto proíbe circulação de pessoas, exceto para prestação de serviços essenciais. Novo decreto da prefeitura de Acrelândia foi publicado nesta quinta-feira (9) no DOE

    Com nove casos confirmados de Covid-19, a prefeitura de Acrelândia, no interior do Acre, endureceu as medidas de enfrentamento ao novo coronavírus e decretou toque de recolher diário, das 19h às 5h, como medida para conter a propagação vírus.

    O prefeito da cidade, Ederaldo Caetano, já havia anunciado que iria decretar toque de recolher na cidade. A taxa de contaminação na cidade, que tem 15.256 habitantes, tem preocupado as autoridades e a decisão do gestor foi após uma recomendação do Ministério Público do Acre (MP-AC).

    O decreto foi publicado na edição desta quinta-feira (9) do Diário Oficial do Estado (DOE) e entra em vigor imediatamente, de acordo com o texto.

    Conforme a publicação, a circulação durante o período será permitida apenas para prestadores de serviços essenciais e para acesso, quando necessário, aos serviços essenciais.

    Entre as pessoas que não estão proibidas de circular estão integrantes dos órgãos de segurança, chefe do poder executivo, membros dos poderes legislativos e judiciário, vigias noturnos, delivery e profissionais da área da saúde.

    O decreto prevê que está vedado o funcionamento do comércio e serviços gerais no município como medida de prevenção e combate ao novo coronavírus.

    Os restaurantes, sorveterias e lanchonetes vão poder atender somente com serviço de delivery e fornecimento de alimentação na entrada do estabelecimento. O consumo no local está proibido.

    O documento estabelece que esses locais só vão poder funcionar de 6h às 18h, de segunda-feira à sexta-feira, e de 6h às 13h, aos sábados, domingos e feriados.

    Os primeiros casos em Acrelândia foram registrados no dia 29 de março. De lá para cá, já foram nove registros até o último boletim da Secretaria da Saúde (Sesacre).

    No último dia 1 de abril, quando registrava sete casos de Covid-19, a prefeitura declarou estado de calamidade pública por conta da pandemia. No mesmo dia, a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) aprovou o pedido.

    Ainda conforme o decreto, não se incluem nas restrições de horário de funcionamento os seguintes estabelecimentos:

    • médicos e clinicas médicas;
    • dentistas e clinicas odontológicas;
    • hospitais;
    • farmácias e drogarias, observada a escala de plantão nos sábados, domingos e feriados;
    • veterinários e clinicas veterinárias;
    • laboratórios de análises clínicas;
    • fisioterapeutas e clínicas de fisioterapia;
    • postos de gasolina;
    • borracharias;
    • funerárias;
    • manutenção e serviço emergencial em redes elétricas, de telefonia, de internet e de água;
    • padarias;
    • hotéis;
    • laticínios e frigoríficos.

    Além disso, vão poder funcionar de 6h às 18h, de segunda-feira à sexta-feira, e de 6h às 13h, aos sábados, domingos e feriados, os seguintes estabelecimentos:

    a indústria em geral, com atendimento ao público apenas mediante agendamento;

    as empresas que participem, em qualquer fase, da cadeia produtiva, da distribuição e comercialização de produtos e da prestação de serviços de primeira necessidade para a população, tais como alimentos, medicamentos, produtos de limpeza e higiene, água, gás, entre outros;

    • supermercados, mercadinhos e congêneres;
    • oficinas mecânicas;
    • agropecuárias;
    • lavanderias;
    • bancos e lotéricas;
    • construção civil;

    No caso das empresas localizadas em rodovias estadual ou federal, fora do perímetro urbano de Acrelândia, estas vão poder funcionar sem restrições de horários, desde que evitem aglomerações e cumpram normas de higiene.

    O decreto proíbe ainda a entrada de pessoas e veículos de outras cidades, estados ou países no município de Acrelândia, com exceção dos moradores da cidade e dos caminhoneiros que transportem mercadorias em geral. Também está proibida a entrada de ônibus intermunicipais na cidade.

    Os moradores de Acrelândia que estiveram retornando ao município de alguma viagem devem passar por triagem e monitoramento da equipe de saúde. Em seguida, devem ficar em quarentena em casa.

    Por fim, o documento determina que, em caso de descumprimento das medidas, a população deve comunicar às autoridades competentes, para apuração das eventuais práticas de crimes.

    Covid-19 no Acre

    O Acre tem 58 casos confirmados de Covid-19, segundo último boletim da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), divulgado nessa quarta (8). O estado já registrou duas mortes em decorrência da doença em Rio Branco.

    A Saúde diz que dos 58 pacientes, 37 já podem ser considerados recuperados, ou seja, não apresentam mais o vírus no organismo, configurando assim uma taxa de recuperação de 64% dos pacientes.

    Ainda de acordo com a secretaria, foram notificados 735 casos suspeitos, 604 foram descartados, 58 confirmados e mais 73 seguem em análise. Dos confirmados, 45 são em Rio Branco; nove em Acrelândia, um em Porto Acre, dois em Plácido de Castro e um no Bujari.

    Image
    Image
    Image

    logo news2