Desdobramentos

Foto: Divulgação

A médica que forneceu atestado médico usado pela deputada federal Jessica Sales (MDB) para garantir o seu registro de candidatura à reeleição seria sócia da parlamentar em clínica na Capital Federal. A revelação foi feita por reportagem do site Juruá em Tempo, sediado na cidade de Cruzeiro do Sul.

Cochilo

A deputada emedebista perdeu o prazo para fazer o cadastramento biométrico obrigatório realizado pela justiça eleitoral e teve o título de eleitor cancelado. Com isso, ela também deveria estar impedida de participar das eleições de outubro deste ano.

Petição

Jessica Sales entrou com pedido no Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE) com base no documento assinado pela médica Thais Silva Cunha. Na solicitação, a parlamentar alega não ter participado do processo de biometria por cumprir recomendações médicas de que passasse 30 dias afastada de suas atividades na Câmara a fim de se recuperar de uma cirurgia.

Tudo muito nebuloso

Ocorre que no mesmo período em que deveria estar em repouso, Jessica participou de votações no plenário da Câmara dos Deputados, fez viagens aéreas no trecho Rio Branco-Brasília e compareceu a eventos políticos em municípios do interior do Estado.

Faxina digital

Segundo reportagem do Juruá em Tempo, a parlamentar do MDB teve o cuidado de deletar postagens em sua página pessoal no Facebook que evidenciavam sua participação em eventos da pré-campanha ao Senado da República do correligionário Marcio Bittar.

Tropeço

O site, porém, por investigar suposto uso indevido de verbas públicas para fins eleitorais, havia arquivado as publicações da deputada. E na edição da última quinta, em matéria sobre a inadimplência de Jessica com a justiça eleitoral, reproduziu os posts.

Maternal

De volta à médica Thais, ela e Jessica Sales se trabalharam juntas em Votuporanga, interior de São Paulo, entre 2011 e meados de 2013. Em 2016, a dra. Thaís se mudou para Brasília, onde abriu, em sociedade com a emedebista, a Clínica Médica Maternal.

Trâmites

Com a apresentação do atestado assinado por Thais, Jessica justificou sua ausência no processo de cadastramento biométrico, obtendo liminar favorável ao registro de sua candidatura à reeleição.

Não se encaixam

E é aí que entram as postagens feitas por ela, em agosto do ano passado, na rede social Facebook sobre suas atividades políticas no interior do Acre, bem como a confirmação de viagens aéreas e votações de que participou no plenário da Câmara, em Brasília. As peças do quebra-cabeça, portanto, não se encaixam.

Nada a declarar?

A matéria do Juruá em Tempo afirma ter questionado a assessoria de imprensa do hospital de onde partiu o atestado médico fornecido à emedebista. Nenhuma resposta teria sido dada até a noite de ontem, 10.

Matando a charada!

Ainda sobre este assunto, partidários da emedebista começam a desconfiar de que as denúncias emergiram a partir de ações de aliados do PP do senador Gladson Cameli, que desejam tirar da disputa à Câmara Federal a filha do ex-prefeito Vagner Sales.

Equação

A aritmética dos emedebistas é simples: a subtração da possibilidade de Jessica de disputar a reeleição somaria benefícios eleitorais para Rudilei Estrela, tio do atual prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro. Este, como se sabe, rompeu com o antecessor após vencer as eleições no palanque do ex-prefeito.

Digitais

As digitais do senador do PP, dizem os apoiadores dos Sales, estariam por todo lugar na história, uma vez que havia partido do próprio Gladson a ideia de resgatar Ilderlei Cordeiro do limbo político e transformá-lo em um candidato competitivo.

Detalhes relevantes

E tão logo Cordeiro rompeu com o antecessor, ele recebeu passagem para se filiar ao PP. Acrescente-se a este fato a informação de que o vice-prefeito do município também é filiado ao partido do senador, e o quebra-cabeça estará montado!

Acompanhamento

Logo que vieram à tona as primeiras informações sobre a não participação de Jessica Sales no processo de cadastramento biométrico, o Ministério Público Eleitoral no município teria se interessado pelo caso, sobretudo com o advento de informações sobre a possibilidade de que o atestado médico apresentado por ela pode ser falso.

Sede de justiça

Representantes do MP já se mobilizam para investigar o caso mais a fundo, na intenção de fazer prevalecerem sobre a deputada as regras que deveriam ser para todos.

Números oficiais

O Acre foi o segundo Estado do país que mais investiu em segurança pública no ano passado: foram destinados ao setor meio bilhão de reais. Os dados são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgados ontem, sexta-feira, 10.

Trabalho contínuo

Não se trata, porém, de nenhuma surpresa para quem acompanha todo o trabalho da segurança pública no Acre e sabem dos investimentos que o governo de Tião Viana tem feito em todos os setores da administração pública, não obstante a crise financeira que assola o Brasil.

Esforços

Para quem duvida dos esforços de Tião Viana para compensar a fragilidade das fronteiras, cuja vigilância é de responsabilidade da União, observe os dados divulgados: a União investiu, em 2017, apenas 46,96 reais por pessoa na área da segurança, enquanto o Acre, lançando mão de recursos próprios, despendeu mais de R$ 617 per capita. Isso explica tudo.