“Reage, Indústria”: campanha da FIEAC chama atenção para abandono dos parques industriais

Ruas esburacadas, falta de iluminação pública, insegurança, matagal, casas tomando espaço das empresas. Esses são alguns dos problemas que podem facilmente ser observados por quem passa pelo Distrito ou pelo Parque Industrial de Rio Branco. E é justamente com o objetivo de contornar essa situação que a FIEAC lançou, nesta terça-feira, 14, a campanha “Reage, Indústria”.

Em coletiva de imprensa, o presidente da Federação das Indústrias, José Adriano, acompanhado de diretores da instituição, apresentou aos jornalistas dois vídeos que retratam a situação de total abandono dos espaços reservados ao setor industrial na capital. O material será veiculado em emissoras de TV e já está disponível no site e nas redes sociais do Sistema FIEAC.

“Já encaminhamos vários ofícios, tanto para o governo quanto para prefeitura, buscando manter o diálogo e solicitando melhorias nesses parques. No entanto, infelizmente não obtivemos respostas. Por isso iniciamos essa campanha visando sensibilizar as autoridades para que tenhamos condições mais dignas nesses locais que reúnem algumas das empresas mais importantes e que mais geram emprego e renda no Acre”, destacou José Adriano.

De acordo com o presidente da FIEAC, as atuais condições dos parques industriais desestimulam os empresários a investir no Estado. “Até o operário enfrenta dificuldades para chegar até seu local de trabalho, não tem boa trafegabilidade de ônibus e nem condições de segurança no fim do expediente. Sem o mínimo de infraestrutura, como iremos atrair investimentos? É difícil convencermos alguém de que podemos ter indústrias prósperas nesses espaços”, enfatizou.

PROPOSTAS – Segundo o presidente da FIEAC, os empresários sabem das condições do Estado e do governo federal, que estão organizando suas finanças e, por isso, desde 2017 tem provocado os empreendedores da classe industrial para que sejam mais propositivos e discutam soluções para os problemas do setor.

“Uma das nossas ideias é propor que o poder público faça a recuperação desses espaços e entregue aos empresários para que tenhamos a condição de cuidar. Podemos trabalhar com formato de um condomínio, que seria um acordo para que cada empreendedor contribuísse com uma taxa para manter esses espaços em boas condições. Tivemos conversas informais com o Tribunal de Contas e Procuradoria-Geral do Estado, que se mostraram abertos a essa discussão. Agora precisamos avançar nessa proposta que pretendemos apresentar às autoridades”, anunciou José Adriano.

MÊS DA INDÚSTRIA – Ao lado do presidente do Sindicato da Indústria de Extração Mineral do Estado (Sindmineral), João Paulo de Assis Pereira, do presidente do Sindicato da Indústria de Móveis (Sindmóveis), Augusto Nepomucena, e do ex-presidente e diretor da Federação das Indústrias, Jorge Tomás, José Adriano aproveitou a coletiva de imprensa para falar sobre as diversas ações que a FIEAC realiza em maio, que é o Mês da Indústria.

“Além da campanha ‘Reage, Indústria’, estamos promovendo neste mês a Caravana do Desenvolvimento em Sena Madureira, ofertando qualificação profissional gratuita para mais de mil pessoas. Na semana que vem teremos o Seminário Técnico de Revisão do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), importante evento que realizaremos em parceria com a CBIC. Por fim, no início de junho, receberemos o novo superintendente da Suframa, em um encontro com empresários e representantes de municípios fronteiriços para tratarmos de questões dificultam o comércio internacional nas regiões de fronteira”, assinalou o presidente da FIEAC.

Assessoria FIEAC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *