Poronga

    Sentido contrário

    Ao contrário do anunciado pelo senador Márcio Bittar (MDB), afirmando que o governador Gladson Cameli declinaria apoio à candidatura do emedebista Fagner Sales,  na disputa pela prefeitura de Cruzerio do Sul, ontem, em vídeo de pouco mais de um minuto, o governador Gladson decidiu tomar posição e resolveu declarar apoio às candidaturas de Zequinha Lima (Progressista), que tem como vic e Henrique Afonso (PSD).

    Circunstâncias 

    A chapa comandada por Zequinha,  ex-vice- prefeito de Ilderlei Cordeiro, foi construída a partir da cassação do mandato de Cordeiro pela justiça eleitoral - decorrendo, daí, a  suspensão dos direitos políticos de ex-prefeito por oito anos. 

    Digitais 

    As articulações para a formação da chapa foram comandadas pelo presidente da Aleac, deputado Nicolau Júnior (PP), cunhado do governador, e este é apontado como personagem principal a convencer Cameli a sair da neutralidade da disputa.

    Fim do mistério 

    A declaração de Cameli põe fim as especulações que corriam semanas atrás, dando conta que ele apoiaria o candidato do MDB ou, ao menos,  ficaria neutro na disputa em sua terra natal, já que houvera prometido a lideranças emedebistas apoiar a pré-candidatura de Fagner Sales (MDB), filho do ex-prefeito Vagner Sales e da deputada estadual Antônia Sales (MDB).

    Justificativa 

    No vídeo divulgado ontem, Cameli afirma que não poderá está presente na convenção que homologou os nomes de Zequinha e Henrique, mas que durante a campanha eles contarão com o seu apoio. A convenção do Progressista está marcada para a próximo sábado, dia 12, às 19 horas, em Cruzeiro do Sul.

    Apoio 

    “Eu estarei junto no decorrer desta campanha pessoalmente para falar e conversarmos com a população para dizer porque o Zequinha é o melhor para governar o nosso município, sem atacar ninguém, sem falar mal de ninguém e sim com propostas que vão melhorar a sua vida, as vidas das pessoas”, disse o governador na compilação que deverá ser veiculada durante a convenção.

    Salada mista 

    Ainda sobre as eleições de Cruzeiro do Sul, a mesma poderá ter o condão de juntar no mesmo palanque adversários recentes no âmbito da política  estadual: PP, PSD, PCdoB e PT . Zequinha (PP)e Henrique (PSD) - que começaram a trajetória política no PC do B -, poderão ter no  palanque Gladson Cameli (sem partido e ex-PP) , Sérgio Petecão (PSD) e Jorge Viana (PP) e Edvvaldo Magalhães (PCdoB)..

    Rumos distintos 

    Essa salada fica mais aparente em Rio Branco, maior cidade do Acre, onde o governador Gladson Cameli  diverge da maioria dos aliados que lhe trouxeram ao Palácio Rio Branco, vez que decidiu apoiar a eleição da prefeita Socorro Neri (PSB). Enquanto isso, o MDB vai de Roberto Duarte; o PP e PSD de Tião Bocalom e o PSDB de Minoru Kimpara. Ao jogo, rapazes!

    Alvíssaras 

    Ontem os servidores da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac),receberam uma boa notícia:  o presidente da Casa, deputado Nicolau Júnior (Progressistas), confirmou para o pagamento do décimo terceiro salário, que seria creditado durante o expediente bancário do dia. 

    Frutos 

    Segundo o Nicolau, a antecipação do pagamento foi decidida em comum acordo com os demais membros da mesa diretora e é resultado do equilíbrio financeiro que o poder Legislativo conseguiu. O modelo administrativo adotado pela mesa permitiu a direção ter o controle dos recursos públicos recebidos e realizar a antecipação do bônus salarial.

    Dever de casa 

    “Mesmo com a pandemia conseguimos fazer cortes, enxugamos a folha de pagamento e isso nos possibilitou a fazer reservas necessárias sobre os duodécimos que recebemos. Temos o controle de nossos gastos e fazemos tudo com a maior transparência, uma vez que todos os nossos atos são publicados no Diário Oficial da Assembleia Legislativa. A antecipação só foi possível por conta desse equilíbrio financeiro que conquistamos por conta de uma administração responsável com o recurso público”, enfatizou o presidente.

    Incentivo 

    Ainda de acordo com Nicolau Júnior, a ideia é que os valores também fomentem o comércio local. “O comércio está em fase de retomada e precisa de uma injeção de dinheiro na economia local. Esses valores podem ajudar nesse momento da volta das atividades econômicas depois do período de quarentena. Acredito que nosso servidor vai poder ajustar suas contas, executar o que já tinha planejado com esse dinheiro e ainda vamos contribuir com a movimentação da economia do nosso estado”, complementou.

    Imagem2

    Retrato do caos 

    A Agência Reuters, maior agência internacional de notícias e multimídia do mundo, veiculou hoje que o Brasil registrou 8.373 incêndios em sua parte da floresta amazônica nos primeiros sete dias de setembro, mais que o dobro do número de incêndios no mesmo período do ano anterior, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

    Agravante 

    Uma preocupação urgente é que 27% dos maiores incêndios até agora em setembro foram em florestas intocadas, ao invés de áreas recentemente desmatadas ou terras agrícolas onde as chamas são mais contidas, de acordo com uma análise de imagens de satélite realizada pela Amazon Conservation, organização sem fins lucrativos com base nos Estados Unidos, à qual a Reuters teve acesso exclusivo. O número é 13% maior que em agosto.

    Aprofundamento

    “É muito mais desse cenário de incêndio descontrolado que está sendo desencadeado”, disse Matt Finer, que lidera o projeto de rastreamento de incêndio da organização. “Não temos ideia para onde vão esses incêndios, quando vão parar. E, à medida que a estação seca se intensifica, só vão piorar.”

    Comparativo 

    Considerando todos os tipos de incêndios, setembro já teve uma média de 53 grandes queimadas por dia na primeira semana, contra 18 por dia em agosto, de acordo com a Amazon Conservation. A instituição define grandes incêndios como aqueles que emitem fumaça suficiente para indicar que uma grande quantidade de biomassa está queimando, enquanto os dados do Inpe são baseados em pontos de calor, que também detectam incêndios menores.

    Maquiagem 

    O número do Inpe, que mostra que os incêndios dobraram, pode estar subestimado porque um problema com um satélite da Nasa fez com que dados parciais fossem informados até 2 de setembro, embora a questão tenha sido resolvida nos dias subsequentes, de acordo com a Nasa e o Inpe.

    Ápice 

    Os dados revisados do Inpe devem mostrar que os incêndios atingiram a máxima de 10 anos em agosto, um índice ainda pior do que no mesmo mês do ano passado, quando os incêndios na Amazônia provocaram protestos globais.(Com agência Reuters)

    Image
    Image
    Image

    logo news2