Poronga

    Festa

    O MDB chancelou ontem a candidatura do deputado Roberto Duarte à prefeitura de Rio Branco, tendo como vice a ex-deputada federal Antônia Lúcia do Partido Liberal (PL). A coligação que dará suporte à candidatura de Duarte conta com o  MDB, PTB, PL e Republicanos.

    Arenga

    Em seu discurso de apresentação como candidato, Duarte deixou transparecer que adotará na campanha a tática de fustigar os adversários.  “Não adianta usar azul, a gente sabe quem é vermelho e quem é azul”, pespegou o candidato aludindo que seus adversários estão perfilados a ideários da corrente esquerdista. 

    Homologação 

    Ainda ontem o PSB homologou a candidatura à reeleição da prefeita Socorro Neri a prefeitura de Rio Branco,  tendo como vice o advogado Eduardo Ribeiro (PDT). A convenção dos socialistas contou com a entusiasmada presença do governador Gladson Cameli (sem partido) que reiterou apoio à candidata socialista. A coligação “União por Rio Branco”, que embala a candidatura da prefeita, conta com o PSB, PV, Podemos, Partido Verde, Solidariedade, PROS e Democratas. 

    Reiteração 

    Gladson Cameli voltou a dizer que confia no trabalho da prefeita conduzindo a administração da capital e disse que vai se dedicar ao máximo para que Socorro saia reeleita nas eleições de novembro.

    Prego batido, ponta virada!

    “Socorro, que falar aqui para você novamente. Eu confio em você e estarei na sua campanha que se fosse a minha. Estarei de manhã, tarde e noite trabalhando para você vencer as eleições ainda no primeiro turno”, disse o governador.

    Jogo rápido 

    O governador acredita na vitória de Socorro Neri ainda no primeiro turno. “É no primeiro turno que vamos vencer essas eleição, trabalhando com pé no chão e conquistando cada voto”, disse Cameli.

    Mudança de rota

    O ponto fora da curva da festa socialista foi a exclusão do PCdoB da coligação “União por Rio Branco”, numa ação contrária as declarações do deputado Edvaldo Magalhães que no início do dia assegurou a imprensa que o bloco comunista iria integrar a coligação e apoiar a candidatura de Socorro Neri. 

    Barrados no baile 

    O material de divulgação da festa socialista ainda contava com a logo do partido comunista, mas de última hora a sigla foi sacada da coligação. O fato, além dos dissabores levados aos comunistas,  causou mal estar entre os presentes na convenção. 

    A vida imita a arte

    Sobre a exclusão do PCdoB da coligação de Neri, gaiato de plantão não deixou passar por menos e evocou o grupo musical Dominó, que nos idos de 1988, no programa Viva a Noite, comandado pelo falecido apresentador Gugu Liberato,  embalava a juventude com o hit  dançante “Com todos, menos comigo!” 

    Cartada

    Com o tempo regulamentar quase esgotado para o realização das convenções partidárias, o prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores (PP), tido por alguns como carta fora do baralho na disputa pelo paço da cidade fronteiriça, conseguiu montar forte bloco ao agregar o MDB a sua coligação. Com a interlocução do senador Márcio Bittar, o emedebe retirou a candidatura do jovem empresário  Rodrigo Santos que poderá compor como vice de Flores. 

    Exército 

    Concretizado o cenário, Flores contará com o apoio do governador Gladson Cameli, da Senadora Mailza Gomes (PP) e do Senador Márcio Bittar (MDB),  além de dois deputados federais, seis deputados estaduais e quatro vereadores do município que concorrem a reeleição. 


    Imagem2

    Lâmina 

    O governo Jair Bolsonaro, tendo a frente o ministro da Economia Paulo Guedes, planeja revisar quase 2 milhões de benefícios destinados a idosos e pessoas carentes com deficiência. As medidas serão tomadas por decreto e por isso não precisam de aprovação do Congresso Nacional. 

    Números 

    Calcula-se que essas medidas vão proporcionar uma economia de até R$ 10 bilhões por ano para o governo. 

    Notícia 

    O plano está sendo preparado em conjunto pelos Ministérios da Cidadania e da Economia, conforme reportagem de hoje, terça feira (15),  do jornal Folha de São Paulo, assinada pelos jornalistas Fábio Pupo e Thiago Resende.

    Alvo 

    Um dos alvos do governo é endurecer os critérios para a concessão de um benefício aos pobres, o BPC (Benefício de Prestação Continuada). Esse auxílio, equivalente a um salário mínimo (R$ 1.045), é pago a idosos acima de 65 anos e portadores de deficiência que devem estar dentro de um limite de renda familiar per capita de até um quarto de salário mínimo (ou seja, R$ 261,25), assinala a reportagem.

    Linha dura

    O governo pretende endurecer também os critérios para a concessão de benefícios a deficientes. Com isso, vai forçar a eliminação de pagamentos a pessoas que forem consideradas por esses novos critérios a voltar ao mercado de trabalho.

    Escala 

    De acordo com os cálculos do governo, poderão ser cancelados, com esses critérios mais rígidos, pelo menos 50 mil benefícios por mês.

    Escambo

    O governo pretende com a redução de benefícios a idosos e deficientes eliminar despesas para abrir espaço orçamentário no teto de gastos a fim de formatar o programa Renda Brasil.

    Chancela 

    O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do DEM, também apoia a revisão no BPC. Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, ele listou uma série de medidas para sustentar o teto de gastos.

    Termômetro 

    Dados do Anuário Brasileiro da Educação Básica de 2020, apontam que no Acre apenas 73,6% dos alunos do Ensino Médio concluíram os estudos, em 2019.

    Classificação 

    O estudo apresenta a classificação “Porcentagem de jovens de 16 anos que concluíram o Ensino Fundamental por federação”. O maior percentual foi registrado em 2015, quando 77% havia concluído. Na Região Norte, Roraima ficou com o melhor índice, quando pontuou 82,8%. O Acre teve o menor percentual.

    Estatística 

    A taxa líquida de matrícula do Ensino Médio no âmbito nacional apresentou crescimento em 2019. Isso significa que a porcentagem de jovens de 15 a 17 anos matriculados no Ensino Médio parece ter voltado a crescer em ritmo mais intenso, após  alguns anos de tendência à estabilidade. A manutenção desse crescimento é essencial para se alcançar o patamar de 85%, como prevê o PNE.

    Image
    Image
    Image

    logo news2