Poronga

    Artes marciais

    A pendenga envolvendo a votação e os vetos da LDO continuam rendendo.

    Ontem o site Contilnet , entrevistando o deputado Roberto Duarte (MDB), fez revelar que o deputado e líder do governo Gehlen Diniz (PP) correu sério risco caso levasse adiante o cumprimento da promessa de tirar o emedebista do plenári. É que Duarte é lutador de jiu-jitsu e revelou que, em sendo agredido fisicamente, estava disposto a tudo para defender sua honra e seu mandato.

    Alto lá

    Ainda sobre o deputado estadual Roberto Duarte Jr (MDB) ele entregou na manhã de onte, segunda-feira (21), um documento para ser levado à Brasília pelo deputado federal Flaviano Melo (MDB), solicitando de imediato a suspensão do aumento de 18% da empresa Energisa.

    Ação conjunta

    Segundo o parlamentar, a Proposta de Fiscalização e Controle (PFC) deverá ser encaminhada à Comissão de Minas e Energia. “O deputado Flaviano Melo se comprometeu de, ainda esta semana, entregar o nosso requerimento ao presidente da comissão, deputado Silas Câmara”, explicou.

    Atalho

    Duarte destacou, ainda, que uma ação desta natureza já foi impetrada pela Defensoria Pública da União, contudo, há uma grande demora por parte da Justiça. “Entregando esse documento, poderemos requerer a suspensão do aumento”, finalizou.

    Troca troca

    No inicio da tarde de ontem o lider do PSL na Câmara Federal, o deputado Delegado Waldir (GO) renunciou ao cargo de líder do PSL. Com isso, o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, assumiu o posto, depois de uma longa e violenta disputa pelo cargo.

    Apoio e expurgo

    Eduardo foi confirmado no cargo após receber o apoio de 28 dos 53 parlamentares da legenda – a lista original tinha 29 nomes, mas um não foi aceito pela Secretaria Geral da Mesa. Em seu primeiro ato como novo líder do PSL na Câmara, o deputado Eduardo Bolsonaro (SP) determinou o desligamento de todos os 12 vice-líderes do partido na Casa nesta segunda-feira, 21.

    Alvo

    A maioria dos deputados que perdeu a função de vice-líder é da ala do partido ligada ao presidente da sigla, Luciano Bivar (PSL-PE). Os vices são responsáveis por substituir o líder quando necessário.

    A lista

    São eles: Dayane Pimentel (BA), Nicoletti (RR), Nereu Crispim (RS), Nelson Barbudo (MT), Júnior Bozzella (SP), Julian Lemos (PB), Joice Hasselmann (SP), Heitor Freire (CE), Felício Laterça (RJ), Coronel Tadeu (SP) e Charles Evangelista (MG).

    Fala que eu te escuto

    Também foi desligado da vice-liderança o deputado Daniel Silveira (RJ), responsável por gravar o então líder da legenda, deputado Delegado Waldir (PSL-GO), em uma reunião em que falava sobre “implodir” o presidente Jair Bolsonaro.

    Cansaço

    Mais cedo, ao tratar da disputa na bancada, Eduardo adotou cautela e evitou falar como líder. "Está sendo protocolada uma sucessão de listas, vamos esperar para ver como é que vai isso daí. Uma hora os deputados vão parar de assinar uma lista ou outra”, disse ele ao deixar a Câmara.

    Fogo alto

    Ele também negou que houvesse qualquer acordo para pacificar o partido, como aliados de Bivar chegaram a afirmar. O documento que teve as assinaturas necessárias para levar Eduardo à liderança foi o terceiro apresentado pela ala do partido ligada a Bolsonaro.

    Revés

    Na semana passada, uma guerra de listas acabou com uma derrota para o grupo “bolsonarista” da bancada e Delegado Waldir foi mantido no posto. Isso porque a Câmara não reconheceu algumas das assinaturas no documento pró-Eduardo. Como mostrou o Estado, ao menos quatro nomes estavam tanto nas listas a favor de Eduardo e de Waldir.

    Gangorra

    Horas depois de a ala do partido ligada a Jair Bolsonaro anunciar o nome de Eduardo Bolsonaro como líder do PSL na Câmara, deputados ligados ao presidente nacional da legenda, Luciano Bivar, apresentaram uma nova lista para que o Delegado Waldir (GO) retome a liderança do partido na Casa.

    O avesso do avesso

    Por fim, já no final da tarde, a ala ligada a Eduardo Bolsonaro apresentou uma terceira lista de assinaturas para manter Eduardo líder do PSL. E assim foi a novela envolvendo o PSL durante todo o dia de ontem, enquanto o presidente Jair Bolsonaro viaja em périplo pela Ásia e o Oriente Médio.

    Moldura

    A lei aprovada na Aleac na última semana, que altera dispositivos da LDO aprovada em setembro deste ano, foi sancionada pelo governador Gladson Cameli (PP) nesta segunda-feira, 21. As novas regras foram publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) e vão delimitar a Lei Orçamentária Anual (LOA) e o Plano Plurianual (PPA) que devem ser aprovados até dezembro.

    Nova etapa

    Com a publicação no DOE, os parlamentares de oposição iniciam uma nova fase desse processo que se arrasta há quase duas semanas. Vencida a parte política, os deputados, liderados pelo deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), pretendem judicializar a matéria, isso porque no entendimento deles não havia mais espaço para tramitação de um novo projeto alterado a LDO. Todos os prazos já haviam sido vencidos com a entrada do projeto original da LDO em maio, tramitação, aprovação, derrubada dos vetos e promulgação no mês de setembro.

    Crime explicitado

    Edvaldo Magalhães classificou a publicação da nova lei como um “crime” ao Parlamento e aos demais poderes. Ele garantiu que ainda esta semana, eles vão aos tribunais. “O crime foi publicado. Teremos que organizar a documentação e a peça”, comentou. As informações são do site Notícias da Hora.

    Image
    Image