Política

    Gladson Cameli passou mais de 120 dias viajando e recebeu R$ 130 mil em diárias em 2019

    Governo Cameli terminou 2019 do jeito que gosta: viajando. No seu primeiro ano de governo, ele viajou muito, trabalhou pouco

    Gladson Cameli deve retornar ao trabalho hoje. Aproveitou o fim do ano para curtir as belezas de Miami e, segundo fonte palaciana, passar o réveillon na Times Square, em Nova York.

    Essa fraca aptidão para o labor justifica o fato de ter sido considerado o pior do governador do Brasil no ano pretérito, segundo levantamento feito pelo Portal G1, do Grupo Globo.

    Computando todas a viagens, entre oficiais, disponíveis no Portal da Transparência do governo do Acre, com as extraoficiais, o governador acreano passou mais de 120 dias longe do Estado para o qual fora eleito.

    É como se tivesse passado um terço do primeiro ano ausente. É coisa demais para quem disse ter muita a ser corrigido.

    Essas ausência do governador custa caro ao bolso do contribuinte.

    Somente com diárias para ele, sem contabilizar as pagas aos seus assessores e homens da segurança pessoal, Gladson Cameli recebeu mais de R$ 130 mil.

    Mantida essa proporção de recebimento anual, o governador terminará o mandato embolsando mais de meio milhão de reais em diária.

    Gladson Cameli nunca escondeu a paixão por aviação. É tanto que alugou, com dinheiro público, um jatinho para ir e vir a hora que bem entender.

    Por esse luxo, o acreano paga R$ 18 mil a hora voada. Em 2019 saiu dos cofres públicos cerca de R$ 500 mil.

    Cameli retorna com problemas acumulados. Nesta semana se reúne com o seu chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, que terminou o ano demissionário.

    Na Saúde, o caos fez morada. Na Segurança Pública, há muita gente de olho no calendário eleitoral jogando para a plateia, enquanto o crime organizado dita as regras nos bairros.

    Bem-vindo à selva, governador! É hora de pousar na realidade.

    Image
    Image