Política

Política

Meire Serafim cobra resposta da USP para meninas afetadas por vacinas

A deputada Meire Serafim (MDB), da Comissão de Saúde da Aleac, disse nesta quarta-feira, 23, que está preocupada com a falta de um esclarecimento mais detalhado da Universidade de São Paulo (USP) sobre quais foram os exames realizados com as garotas supostamente afetadas pela vacina anti-HPV.

“Precisamos saber quais foram estes exames e por que ainda não tiveram seus resultados entregues às famílias”, comentou a parlamentar.

Meire Serafim abraçou a causa das meninas depois de participar de uma reunião da Comissão de Saúde com a especialista Emília Gadelha, de São Paulo, que fez uma ampla exposição sobre o tema questionando a USP pelo fato de não ter realizado diferentes tipos de exames, limitando-se a apenas à videoeletroencefalograma.

A parlamentar disse que toda a Comissão de Saúde está mobilizada para dar uma solução para este drama que atinge cerca de 90 famílias de Rio Branco. De acordo com ela, as mães relatam convulsões, tremores, paralisia facial, esclerose múltipla e outros sintomas que começaram a surgir imediatamente após a aplicação da vacina.

A palestra da médica foi bastante esclarecedora e preocupante, segundo Meire Serafim, porque coloca em dúvida até mesmo a transparência dos médicos que o Ministério da Saúde enviou ao Acre para investigar as reações. “Existe muito conflito de interesse entre estes profissionais e o laboratório que desenvolveu as vacinas”, observou a deputada.

Meire informou que o próximo passo da Comissão de Saúde será ouvir os responsáveis pelo acompanhamento de doze pacientes na USP e receber informações sobre os exames que estão sendo realizados.


gow banner p20