Política

Política

PSL suspende atividades partidárias de 5 deputados ligados a Bolsonaro

Em meio à crise pelo controle do PSL, a direção nacional do PSL determinou a suspensão das atividades partidárias dos deputados Bibo Nunes, Carla Zambelli, Alê Silva, Carlos Jordy e Filipe Barros.

“Há vasto material probatório de ataques que eles fazem ao partido, aos parlamentares do partido, ao presidente Bivar (presidente do PSL, Luciano Bivar). É uma punição”, disse o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir.

Com a suspensão os parlamentares não podem participar das atividades partidárias, o que inclui a possibilidade de assinar listas para a troca de lideranças da legenda. Ligada a Jair Bolsonaro, a deputada Carla Zambelli disse que irá propor duas propostas visando “conciliar” os ânimos no partido.

Segundo reportagem do jornal O Globo, uma delas é que Bolsonaro possa indicar um aliado à Secretaria Geral do PSL, o que enfraqueceria a concentração das decisões do atual presidente do partido, Luciano Bivar. A outra proposta contemplaria a saída dos 20 deputados aliados a Bolsonaro da legenda, sem que estes percam o mandato.

Carla Zambelli disse, ainda, que a ala bolsonarista do partido poderá ir à Justiça para pedir a anulação da reunião que deverá eleger os novos membros do diretório nacional. Segundo ela, a eleição deverá concentrar ainda mais os poderes decisórios do partido nas mãos de Bivar.

“A gente ficou sabendo pela imprensa da convenção. Tínhamos a informação de que, para uma convenção como essa, seria preciso que cada um de nós fossemos notificados pessoalmente. Eles estão mudando o estatuto e mais uma vez concentrando poder nas mãos do Bivar”.


gow banner p20