Política

Política

Sargento Cadmiel alinha parcerias para emissão de atestados de óbito em Feijó

Em seu pronunciamento nesta terça-feira, 8, o deputado Sargento Cadmiel Bomfim (PSDB) fez um relato sobre sua viagem no final de semana para o município de Feijó,

de onde retornou com duas demandas a serem atendidas com urgência: a reforma das pontes nos ramais da zona rural e formalização de uma parceria entre a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) e a Secretaria de Segurança Pública para credenciar médicos legistas para trabalhar no Hospital Geral de Feijó.

De acordo com o parlamentar, ambas as reivindicações têm pressa, principalmente a questão das pontes, pois o período das chuvas está chegando e a população da zona rural pode ficar totalmente isolada com o aumento do volume dos igarapés. “Quando as águas transbordam nem animal consegue passar, podendo ser arrastado pelas águas como já aconteceu”, lembrou o deputado.

O parlamentar lembrou inclusive que o ramal da Divisa, em especial, tem até uma máquina de terraplanagem que poderia estar sendo utilizada, mas que está parada há mais de 15 dias aguardando apenas o reparo de uma mangueira. “Então pedimos ao prefeito que dê uma atenção especial ao ramal da Divisa, porque a população tem pressa e quando começar o período invernoso não dá para fazer mais nada, pois o solo de Feijó é de tabatinga e não permite qualquer obra com as chuvas”, esclareceu o parlamentar.

Com relação a falta de um médico legista, Cadmiel informou que conversou com o diretor do Hospital Geral visando a formalização de convênio da Sesacre com a Secretaria de Segurança Pública permitindo que alguns casos de óbitos gerados pela onda de violência na cidade possam ser atestados sem a necessidade de translado do corpo até o Instituto Médico Legal de Cruzeiro do Sul.

Pelo convênio, segundo Cadmiel, os médicos credenciados do hospital de Feijó receberiam uma gratificação paga pela Segurança Pública e atuariam como legistas em casos que não exija trabalho de perícia muito complexa.

“Casos de mortes violentas, corpos decapitados ou em estado de decomposição desovados em covas rasas poderão ser liberados por médicos habilitados do próprio hospital, sem necessidade de translado ou de ficar armazenado em câmaras frias, uma vez que não há local adequado no município”, explicou Sargento Cadmiel.

O parlamentar também aproveitou para agradecer ao secretário de Segurança Pública, coronel Paulo Cezar, por garantir o pagamento do transporte dos policiais civis e militares da capital que são deslocados para atender em municípios isolados como Santa Rosa do Purus, Jordão, Marechal Taumaturgo e Porto Walter. “Nossos agradecimentos ao secretário por atender a esta reivindicação, pois até agora os policiais estavam pagando do seu bolso”, concluiu ele.


gow banner p20