Os “Santinhos”

Foto: Reprodução

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã de ontem, terça-feira, 11, a deputada estadual reeleita Doutora Juliana e o presidente da Câmara dos Vereadores de Rio Branco, pastor Manuel Marcos, eleito deputado federal. Ambos são do PRB, partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, liderada pelo bispo evangélico Edir Macedo.

Espatifando o ninho da pata

Eles haviam acabado de migrar para a base de apoio do governador eleito Gladson Cameli (PP), conforme noticiado no site ContilNet no último dia 5, deixando no xilindró os neoaliados de Cameli.

Queimando na largada

Os termos que noticiavam o aconchego do dupla ao governo do pepista, traziam a seguinte redação: “Representantes do Partido Republicano Brasileiro (PRB) estiveram reunidos nesta terça-feira (4) com o presidente do Progressistas, José Bestene, e depois de uma boa conversa tudo ficou certo de que a Doutora Juliana, deputado reeleita pela sigla, e o deputado federal eleito Pastor Manoel Marcus, irão fazer parte do novo governo que irá se iniciar no dia primeiro de janeiro de 2019”.

Pecadores

As prisões dos parlamentares do PRB se deram no âmbito da Operação Santinhos, deflagrada no Acre e outros estados. A investigação aponta desvios de R$ 1,5 milhão do fundo especial de financiamento de campanha por Juliana e Manuel Marcos.

Números

Foram realizados 17 mandados de busca e apreensão em residências e gabinetes dos investigados e em diversos órgãos públicos, entre eles a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) e a Câmara de Vereadores de Rio Branco.

Extensão

Outros seis mandados de prisão foram expedidos pela Justiça Eleitoral do Acre. Entre os capturados estão dois filhos da deputada Juliana, Yargo e Diego Rodrigues. Este último é diretor do Procon e um dos principais articuladores do PRB.

Dura lex sed sex!

Os investigados podem responder por crimes de peculato, associação criminosa, compra de votos e lavagem de dinheiro. Na casa de Diego foi apreendida arma de fogo, acessórios e munições de uso restrito. Ele também deve ser indiciado por ameaça e coação de testemunhas e porte ilegal de arma.

Cérebro

Outro preso na Operação Santinhos foi Thaisson de Souza Maciel, um velho conhecido de Manuel Marcos. Segundo o delegado Eduardo Maneta, responsável pela investigação, Thaisson exercia cargos de confiança do vereador desde 2013 e é acusado de ser o “laranja” do suposto esquema.

Ação criminosa

Ele teria desviado os recursos públicos do Fundo Eleitoral através de uma empresa “de fachada”, que emitia notas frias de prestação de serviços fictícios que não ocorreram, segundo a PF. Na véspera do primeiro turno, ele teria sacado um total de R$ 500 mil em espécie, com desembolsos de cerca de R$ 50 mil, cada retirada.

Medida protocolar

Ainda ontem – à guisa de prestar esclarecimentos sobre a Operação Santinhos – o governador Tião Viana recebeu a equipe da Polícia Federal em seu gabinete e foi convidado a colaborar com a investigação, na condição de testemunha, vez que o cidadão Thaisson de Souza Maciel exercia cargo de comissão na Secretaria de Saúde do Estado.

Colaboração

Na ocasião, a equipe policial fez questão de frisar que o governador não está sendo investigado e Tião Viana também se colocou imediatamente à disposição da instituição federal para prestar todas as informações solicitadas.

Reconhecimento

Sobre seu depoimento à Polícia Federal, o governador foi incisivo: “Colaborei e enalteci o trabalho da Polícia Federal no combate aos crimes eleitorais”.

Rito

O governador Tião Viana poderia ter optado por definir uma data para seu depoimento, porém decidiu atender prontamente a agente federal.

Intolerância com o crime

“Não quis me valer de minhas prerrogativas e me dispus a colaborar imediatamente. Para não atrapalhar a investigação, não vou me manifestar sobre o que me foi indagado. Antes da eleição estive cinco vezes na Polícia Federal, alertando sobre compra de votos que estava ocorrendo, inclusive com envolvimento de organizações criminosas”, disse o governador.

Petardo

Segundo o procurador regional eleitoral substituto, Vitor Hugo Teodoro, nos próximos dias o Ministério Público Federal deverá entrar com uma ação na justiça na tentativa de impedir a diplomação dos de Manuel Marcus e da Doutora Juliana.

Dança das cadeiras

Segundo Teodoro, caso o pedido seja aceito, os votos computados em favor dos dois serão direcionados aos candidatos mais bem votados da coligação de que eles faziam parte.

Expectativa

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE/AC), os favorecidos pela decisão serão o vereador Railson Correa, para federal, e André da Droga Vale, para estadual.

Na reta

Foto: Reprodução

Caso os votos dos eleitos sejam anulados pela justiça eleitoral, o ex-prefeito de Acrelândia, Tião Bocalom (PSL), assumiria a vaga de deputado federal. No caso da cassação dos votos da deputada estadual reeleita Juliana Rodrigues, o cargo iria para Pedro Longo (PV).

Êxtase

E bastou que fosse levantada a hipótese de que o vereador Railson Correa assuma no lugar de Manuel Marcus que o deputado estadual Raimundinho da Saúde ficasse em êxtase. Ontem, na Aleac, ele estava mais feliz que pinto em monturo.