Ministros do STF propõem reajuste de 16% nos próprios salários

Foto: Reprodução

Por 7 votos a 4, a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu enviar ao Congresso Nacional proposta de aumento dos salários dos ministros da Corte , para 2019. O salário atualmente é de R$ 33,7 mil e o percentual de reajuste, de 16%.

Caso o reajuste seja aprovado no Orçamento da União, que será votado pelo Congresso, o salário dos ministros poderia chegar a R$ 39 mil, valor que provocaria efeito cascata nos salários do funcionalismo – o subsídio dos ministros é o valor máximo para pagamento de salários no serviço público.

A inclusão, que foi decidida em uma sessão administrativa, é tratada anualmente e deve ser enviada ao Ministério do Planejamento até o dia 31 deste mês para compor o Orçamento dos Três Poderes que será analisado pelo Congresso.

Votaram a favor do aumento os ministros Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Luiz Fux e Alexandre de Moraes. A presidente da Corte, Cármen Lúcia, votou contra o reajuste, assim como os ministros Rosa Weber, Edson Fachin e Celso de Mello.

Uma barreira para a concessão do reajuste pode ser a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019, que proibiu a concessão de reajustes para servidores no ano que vem e também veda temporariamente a criação de novos cargos no funcionalismo público.

Fonte: Agência Brasil

CNT/MDA: Lula lidera pesquisa em São Paulo, com 21,8%

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue liderando as pesquisas de intenção de voto para a Presidência. Na pesquisa CNT/MDA entre eleitores do estado de São Paulo divulgada nesta quarta-feira (8), o petista tem 21,8% das intenções de voto, enquanto que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 18,4%. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 14%, Na sequência aparecem Marina Silva Rede), com 6,7%, e Ciro Gomes (PDT), com 5%. Brancos e nulos somaram 17,0%. Indecisos ficaram em 9,8%.

No cenário sem Lula, Bolsonaro lidera com 18,9% das intenções de voto, em empate técnico com Alckmin, que aparece com 15%. Em seguida estão Marina Silva, com 8,4%, e Fernando Haddad (PT) – atual vice na chapa de Lula e indicado para substitui-lo caso o ex-presidente fique inelegível -, com 8,3%. Ciro Gomes soma 6%. O senador Álvaro Dias (Podemos) aparece com 1,8%, seguido por Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU), ambos com 1,1%, e Henrique Meirelles (MDB), com 1%.

Lula segue liderando pesquisas de intenção de voto

O levantamento foi realizado antes do fim das convenções partidárias e por isso considerou a candidatura a presidente de Manuela D’Ávila (PCdoB), que fechou acordo para ocupar a vice na chapa encabeçada pelo PT ao longo da disputa, substituindo Fernando Haddad no posto. Ela apareceu com 1,7% das preferências do eleitorado paulista. Brancos e nulos somaram 22%. Indecisos ficaram em 12,5%.

A pesquisa CNT/MDA foi realizada entre os dias 2 e 5 de agosto e contou com 2.002 entrevistados, distribuídos em 75 municípios de todas as regiões do estado de São Paulo.O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o código BR-05911/2018.

Fonte: Jornal do Brasil