Mensagem de descontentamento

Foto: Reprodução

O governador Gladson Cameli (PP) tem nova frente de descontentamento em confronto com seu governo. Agora é a família da ex-deputada federal e autodenominada “Bispa” Antônia Lúcia (PR) que recorre às redes sociais para alegar ingratidão de Cameli, ante ao empenho da evangélica – e sua inabalável fé -, no transcorrer da campanha eleitoral.

Vade retro!

Verbalizando as dores da família, ontem a filha da ex-parlamentar, a tenra “Discípula” Gabriela Câmara, foi às redes sociais desancar o governador, dizendo que “#Não há defeito pior numa pessoa do que não ter palavra…No homem, então, é detestável. É, no mínimo, covarde. Pobre de espírito. Mesquinho. Ingrato! (sic)”.

Picado pela ingratidão

Tudo porque no último sábado, durante um programa na Rádio Aldeia, o governador Gladson Cameli (PP) foi questionado, e deu o calado como resposta, sobre o por quê da presidente estadual do PR, Antônia Lúcia e seu grupo político, não terem sido arrebatados para compor o governo, haja vista que ela obteve mais de 15 mil votos, o partido elegeu um deputado estadual e o PR é uma sigla orgânica e organizada em 22 municípios do Acre.

Eu te repreendo!

Foi a deixa para que a infante “Discípula” ou “Filhinha da Terra” desancasse o governador. No Facebook, ela fez testemunho dizendo “ter visto o então candidato Gladson Cameli, em várias reuniões na sede estadual do PR, junto ao nosso grupo político, afirmar com convicção que o partido ajudaria na eleição e faria parte do seu governo, garantindo categoricamente que o partido teria o espaço que deve ser destinado aqueles que ajudaram nas batalhas”. Pelo visto, a promessa de Cameli não foi feita nos moldes de uma verdadeira muralha ancorada no poder de Cristo.

À luta, companheiros!

Foto: Cedida

O vereador petista Rodrigo Forneck se pronunciou ontem na tribuna da Câmara de Vereadores de Rio Branco contra a decisão do governo Bolsonaro em reduzir em 30% o orçamento das instituições federais. O parlamentar convidou os colegas de legislatura para participarem do ato nacional contra os cortes na Educação.

Dia do basta!

Nesta quarta-feira, 15, o Brasil vai às ruas para protestar contra a decisão do governo Bolsonaro. “Hoje iremos às ruas defender o direito de todos os brasileiros e brasileiras ao ensino superior. Convido os meus nobres colegas vereadores a participarem do Dia Nacional de Defesa da Educação. Sugiro, inclusive, que durante a atividade a sessão seja suspensa”, salientou Forneck.

Lesa pátria!

Na Ufac, a medida adotada pelo governo federal resultará na perda de R$ 15 milhões em investimentos, enquanto no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac), o corte representa a redução de R$ 5,8 milhões, afetando diretamente alunos, professores, pesquisadores e o ensino público no Estado.

A fórceps

O Tribunal de Justiça do Acre, em despacho da desembargadora Waldirene Cordeiro, concedeu liminar para que Francisco Calixto da Rocha seja reconduzido ao cargo de chefe do Departamento Executivo de Administração e Finanças da Agência Reguladora do Acre (Ageac), vez que a nova diretoria indicada pelo governo Cameli ainda não foi aprovada pela Assembléia Legislativa do Acre e também pelo fato de parto do mandato da atual diretoria ainda vigorar.

Apelo ao bom senso!

Ainda no dia 9 de abril, o deputado Edvaldo Magalhães PCdoB) fez indicação para que o governo Gladson Cameli reconduzisse os antigos diretores e chefes de departamentos da Ageac a seus postos, vez que seus mandatos não haviam expirados.

Dura lex, sed lex

O artigo 5°, parágrafo 2° da Lei 278, que rege as Agências do Acre, estabelece que o Diretor-geral e demais chefes de departamento, serão nomeados pelo chefe do Executivo após a aprovação pela Assembleia Legislativa, para cumprir mandatos fixos de quatro anos.

Cronologia

De toda a diretoria da Ageac, o único mandato que expirou em 31 de dezembro de 2018, foi o do presidente Vanderlei Valente que enviou um documento informando a então chefe da Casa Civil, Márcia Regina, também chefe da transição, sobre a inamovilidade dos demais. O documento foi protocolado em 8 de novembro de 2018.

Rito

Em 4 de janeiro de 2019, foi publicada no Diário Oficial, a nomeação de Mayara Cristine, apesar da Lei 278 estabelecer que em caso de vacância do cargo de presidente, quem assume interinamente até o novo nome receber a aprovação do Legislativo é o Diretor Administrativo e Financeiro, cargo ocupado por Francisco Calixto da Rocha.

Ao arrepio da lei

Calixto foi remanejado para outro cargo apesar do mandato dele como Diretor Administrativo só expirar em dezembro de 2019 e para o lugar dele foi nomeado Leonardo Zanforlin Barbosa.

Dança da ilegalidade

Henry Maciel Valero chefe do Departamento Jurídico até 31 de dezembro de 2019, foi removido do cargo e no lugar dele foi empossada Ângela Maria Ferreira. As nomeações foram publicadas no Diário Oficial de 8 de fevereiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *