Saúde

    Idosos com Covid-19 são abandonados em hospitais em Rio Branco e MP investiga os casos

    Três casos de abandono são investigados pelo órgão. Um deles foi levado para o Lar Vicentino e outros dois ficaram sob responsabilidade de outros familiares

    No mês de combate à violência contra a pessoa idosa, o Ministérios Público do Acre investiga o casos de três idosos que foram abandonados em unidades de saúde de Rio Branco após procurarem atendimento para tratar Covid-19.

    O promotor Antonio Alceste de Castro, da promotoria especial de defesa da pessoa idosa e com deficiência, informou que nesse período de pandemia houve aumento dos casos de violência contra os idosos, e que tem sido recorrente os casos de abandono nos hospitais durante o período de pandemia.

    “Foram pelo menos três casos em que as pessoas abandonaram os idosos a própria sorte no hospital. Um dos idosos foi levado para o Lar Vicentino, e os outros foram encontrados familiares que foram conscientizados a ir buscar os idosos”, contou o promotor.

    O idoso que foi para abrigo é um homem de 70 anos que estava internado no Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC) e foi abandonado pelos filhos.

    Ele deu entrada no hospital no dia 24 de maio, no início de junho testou positivo para a doença. Foi curado e chegou a ficar 15 dias no hospital sem que ninguém da família fosse buscar.

    “Quando vimos que nenhum parente queria o idoso nem ex-mulher, nem filho, nenhum parente, a única solução foi abrigar ele”, acrescentou o promotor.

    Os outros dois casos, o promotor informou que os idosos foram deixados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

    “A assistência social da UPA entrou em contato com o Ministério Público e a gente passou a fazer essa investigação, seja para localizar outros familiares que se responsabilizem ou para responsabilizar criminalmente quem abandonou o idoso e proteger o direito da pessoa idosa”, pontuou.

    Investigação

    Após o abandono, Castro disse que os idosos foram assistidos pela assistência social do hospital que também procurou o órgão para fazer a denúncia.

    “Você imagina deixar o idoso lá sem alimento, sem água e quem teve que se virar foi a assistência social do hospital e depois comunicaram o Ministério Público. Nunca tinha acontecido de abandonar idosos em hospital, pelo menos que eu tenha investigado a frente da promotoria”, contou o promotor.

    O promotor ainda disse que nos outros dois casos, foi feita uma busca por familiares que se responsabilizaram por eles. “Teve que ser uma busca rápida para tirar o idoso do ambiente de contágio que é o hospital.”

    Punição

    Os familiares que estavam diretamente responsáveis e que abandonaram os idosos são alvo de investigação do Ministério Público e podem responder criminalmente. O promotor ressaltou que as investigações ainda estão em andamento.

    O G1 tentou contato com o Conselho Estadual dos Direitos do Idoso do Acre (CEDI-AC) para saber sobre casos de abandono e se acompanha também as situações citadas pelo MP, não não recebeu retorno. A reportagem também tentou obter dados da delegacia delegacia do idoso, que funciona em Rio Branco, com a Polícia Civil, mas, mesmo após pedido de dados por vários dias, não obteve resposta.

    Image
    Image