Polícia

    Homem que gravou vídeos assediando filha de 5 anos é indiciado por estupro no Acre

    Mãe descobriu que filha tinha sido assediada pelo pai ao encontrar vídeos do abuso na lixeira de celular dele. Homem não foi localizado pela polícia

    O pai que gravou vídeos assediando a filha de cinco anos foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável. O crime foi descoberto após a mãe da criança encontrar as imagens na lixeira do celular do homem.

    O caso foi denunciado na sexta-feira (8) na Delegacia de Flagrantes de Rio Branco e, em seguida, encaminhado para a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). Segundo a delegada, Elenice Frez, da Depca, o inquérito foi concluído e enviado à Justiça e Ministério Pública nesta quarta (13).

    “Como ele não foi localizado, não consegui interrogá-lo, mas está concluída a investigação. Ouvimos a criança, fizemos exame no IML, ouvimos a mãe e a tia, que era testemunha. Já conclui o trabalho da polícia judiciária e passei para que o juiz e o MP possam fazer o deles. Não tem condição de não concluir pela incidência nos artigos da lei, ele praticou crime contra a criança”, afirmou Elenice.

    A delegada explicou que o crime de estupro de vulnerável não é somente a partir da prática da conjunção carnal. “A prática de atos libidinosos diversos da conjunção carnal também configuram o crime de estupro de vulnerável”.

    Sobre as medidas que foram adotadas, Elenice contou que no dia que a mãe fez a denúncia na Defla já foi encaminhada ao IML e à maternidade para que fossem feitos os exames e outras medidas de segurança para a saúde da criança.

    “Ontem [quarta, 13] ela foi atendida pela nossa assistente social, que fez o relatório de todo atendimento e encaminhou para o Centro de Referência em Assistência Social (Creas) para atendimento psicológico continuado”, afirmou a delegada.

    A mãe, que não vai ter o nome divulgado para resguardar a criança, disse que desde que fez a denúncia contra o ex-companheiro na delegacia ele não foi mais visto. O homem mora na mesma rua da família.

    “Eu não sei como vamos fazer para achar ele, continua foragido, tenho medo de ele ter sumido já aqui do Acre. Entrei em contato e ninguém da família dele sabe onde que ele está”, lamentou a mãe.

    Vídeos de abuso encontrados

    Desde que os pais se separaram, há cerca de um ano e meio, eles têm a guarda compartilhada da criança. Na sexta (8), a mãe pegou a menina na casa do pai, que levou o celular dele porque estava assistindo desenho.

    Quando a criança dormiu, a tia da menina resolveu olhar as fotos da galeria do celular do homem e acabou encontrando três vídeos do dia 25 de abril em que a criança aparece dormindo enquanto o pai passa órgão genital nas partes íntimas da menina.

    Ao G1, a mãe contou que nunca desconfiou que a filha pudesse passar por isso. Segundo ela, a irmã, que tem 16 anos, contou que quando tinha 13 anos, o cunhado tentou abusá-la, mas não tinha relatado antes à família com receio do que pudessem achar que era mentira.

    Uma campanha nas redes sociais oferece uma recompensa para quem denunciar o paradeiro do homem. Mas, a mãe disse que desconhece quem iniciou essa campanha.

    Image
    Image