Economia

    Estado busca meios para reativar Usina Álcool Verde

    A Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) deu o pontapé inicial esta semana para trazer investimentos de grande porte ao Acre. A empreitada consiste na possibilidade de reativação da Usina Álcool Verde, situada no município de Capixaba e tem o apoio do Governo do Estado e colaboração da Secretaria de Produção e Agricultura (Sepa).

    Na segunda-feira, 16, o secretário da Seict, Anderson Abreu, e o diretor de Indústria e Comércio, Francisco Ernandes Negreiros, reuniram-se com empresários do Grupo Farias e Associados no escritório de apoio do governador Gladson Cameli, para a criação de medidas de incentivo visando o retorno da produção de cana de açúcar na Usina. Com a reativação da Álcool Verde, estima-se a criação de 400 empregos diretos e a diminuição do valor do álcool usado por veículos no Acre.

    “A Seict entra com a estrutura de governo, com o apoio do governador, que nos imbuiu, junto com a Sepa, a criar meios para viabilizar esse projeto. Nós faremos o que for possível para isso, tendo como foco a criação de novos empregos e renda para os acreanos. Temos (Estado e empresa privada) interesse mútuo para que dê certo”, afirma Anderson.

    O encontro também teve a presença do deputado Antonio Pedro, um dos apoiadores da iniciativa e do próprio governador. Na terça-feira, 17, a reunião foi na Sepa, com a presença do secretário Edvan Maciel.

    Fernando Perri, representante do Grupo Farias, acredita na junção da função social do projeto como prioridade. A ideia é aliar a produção com o bem-estar social. “Não adianta só pensar no negócio em si, é preciso analisar toda a cadeia, para que o empreendimento tenha sucesso a longo prazo. Esse tipo de negócio gera empregos de qualidade, cargos técnicos, e bons funcionários geram bons negócios. Queremos ter atenção da produção até as formas de consumo do produto. Isso é importante pro Acre, pro futuro do Estado e também pros investidores”, disse.

    Perri completou dizendo que a ideia é criar um grupo de trabalho para fazer um projeto de viabilidade econômica, nas vertentes agrícola, industrial e mercadológica, para o empreendimento não cometer os mesmos erros do passado, que levaram à estagnação da Usina. A expectativa de abertura da Álcool Verde é de 24 a 36 meses.

    Image
    Image
    Image

    logo news2