Economia

    Basa esgota recursos do Pronampe financiando Pequenos Negócios

    Com R$ 157,7 milhões financiados a microempreendedores individuais (MEI’s), micro e pequenas empresas, o Banco da Amazônia (Basa) esgotou na manhã desta segunda-feira (14) os recursos do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

    Foram 822 operações contratadas nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins com financiamento para capital de giro, recurso utilizado para pagamento de salários, contas de energia e de luz, compra de matérias-primas e de mercadorias.

    Um dos empreendimentos atendidos pelo Basa com o Pronampe foi a Cerâmica Moderna de Parintins (Cemopar). Há 40 anos estabelecida no município de Parintins, no Amazonas, a Cemopar solicitou o financiamento para pagar parte dos salários dos 65 empregados da olaria e comprar equipamentos para produção de tijolos, telhas e acabamentos de cerâmica, especialidades da empresa que abastecem, além de Parintins, os municípios amazonenses de Barreirinha, Boa Vista do Ramos e Nhamundá, e Terra Santa e Juruti, no Pará.

    “Devido à pandemia, estamos passando por um tempo difícil. Tivemos que afastar funcionários por problemas de saúde e o gasto foi aumentando. Além de que, precisamos adquirir novas máquinas para aumento da produção. O Pronampe foi primordial para esse momento que a empresa está vivendo”, relata Rennan Leite, gerente da Cemopar.

    O Basa iniciou as operações com o Pronampe na última segunda-feira, 6 de julho. O sucesso das operações levou a Diretoria do banco a solicitar à instituição gestora do Fundo de Garantia de Operações (FGO) do Pronampe a ampliação do teto financeiro do programa para R$ 350 milhões. O FGO foi o instrumento criado para diminuir os riscos com as operações feitas por meio desse funding.

    Image
    Image
    Image