Economia

Economia

Pesquisa Fieac/Data Control traça cenário político e econômico do Acre

Em coletiva realizada na manhã desta quinta-feira, 31 de outubro, o presidente da FIEAC, José Adriano, divulgou uma pesquisa inédita encomendada ao Instituto Data Control.

O levantamento traça um amplo panorama político e econômico sobre o ânimo do povo acreano em relação ao desenvolvimento econômico e social do estado. Com base em 1,2 mil entrevistas realizada no período de 19 a 27 de outubro, nos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Tarauacá, Feijó e Brasiléia, a FIEAC obteve um retrato da percepção da opinião pública sobre a ação dos governos federal e estadual.

“A pesquisa mostra que 70,4% dos entrevistados estão preocupados com o desemprego e que 47,6% acreditam que a indústria deve merecer incentivos do governo do estado para ampliar o desenvolvimento econômico e gerar emprego”, explicou Adriano. De acordo com os dados que ele apresentou, juntamente com o cientista político José Dênis Moura dos Santos, diretor do Data Control, a indústria da construção civil deveria ser prioridade para 27,4% dos entrevistados; a agricultura, 18,5%; e o agronegócio 16,2%. A margem de erro é de 3% e o intervalo de confiança é de 95%.

“Esta é a primeira pesquisa realizada pela FIEAC e pretendemos repeti-la periodicamente, para ouvir o que pensa a população do estado, nos moldes do que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) faz com o Ibope há dez anos”, justificou o empresário.

Também estiveram na coletiva de imprensa, o superintendente do SESI/AC e diretor-regional do SENAI, César Dotto, e o superintendente do IEL/AC e da FIEAC, Jorge Luiz Vila Nova.

Governos

Em relação ao governo do estado, 75,8% da população tem expectativa de que vai melhorar a situação. Destes, 33,9% acreditam que vai melhorar muito; e 41,9% que vai melhorar apenas um pouco. O governo tem a aprovação da maioria da população nas políticas para as áreas de segurança pública (61,9% aprovam), educação (59,5%), agricultura (46,7%) e meio ambiente (41,8%). Mas nas áreas de saúde, desenvolvimento e emprego a desaprovação supera a aprovação.

A pesquisa FIEAC/Data Control também revela que 41,9% dos entrevistados avaliam como ótima ou boa a administração de Cameli. E 36,9% apontam seu governo como regular, enquanto 17,6% consideram sua administração ruim ou péssima.

Já o presidente Jair Bolsonaro tem a aprovação de 39,7% da população, que consideram sua administração ótima e boa, mas 35,5% consideram o governo regular. Os acreanos que consideram o Governo Bolsonaro ruim ou péssimo somam 19,9%. E 4,9% dos entrevistados não responderam ou não souberam se posicionar.

Legislativo

O levantamento também trata da avaliação da população em relação à Assembleia Legislativa do Acre e da atuação da bancada federal formada pelos deputados federais e senadores. Exatamente 17,8% dos acreanos consideram ótima ou boa a atuação dos deputados estaduais, enquanto 41,5% apontam como regular e 24,7% acham ruim ou péssima. Quanto à bancada federal, 22,2% dos entrevistados consideram boa ou ótima a atuação parlamentar no Congresso em Brasília, 40% apontam como regular e 25,5% acham ruim ou péssima.

Prefeituras

Também constam na pesquisa a avaliação popular dos prefeitos dos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Brasileia. O destaque fica para as três prefeitas: A prefeita Fernanda Hassem, de Brasileia, aparece com a melhor avaliação entre as prefeituras pesquisadas, apresentando 75% entre ótimo e bom. A prefeita Marilete Vitorino, de Tarauacá, ficou com a pior avaliação dentre as prefeituras somando 76% entre ruim e péssimo. E a gestão da prefeita da capital, Socorro Neri, é apontada por 22% da população como ótima e boa, 36,6% de regular e 36,2% de ruim e péssima.

Uma pesquisa com 618 entrevistas foi realizada também na capital para apontar as percepções e humores da população em relação aos problemas econômicos e sociais a serem enfrentados. Também são apresentados dados sobre a preferência do eleitorado para as eleições.

Na disputa preferencial para as eleições municipais de 2020, a pesquisa FIEAC/Data Control mostra que a maioria da população ainda não escolheu candidato para a Prefeitura de Rio Branco: 65,3% dos entrevistados não souberam apontar um nome na pesquisa espontânea. O ex-prefeito Marcus Alexandre, que não pode disputar esta eleição por impedimento da legislação eleitoral, aparece citado por 8,9%; Minoru Kimpara, por 4,4%; a atual prefeita Socorro Neri, tem a preferência de 3,2%; e Roberto Duarte, de 2,4%.

Na pesquisa estimulada, os resultados para a disputa pela Prefeitura da capital são outros. Minoru Kimpara chega a 21,5%; Angelim, 18,9%; e Roberto Duarte, 13,4%. Os outros nomes não atingem dois dígitos: Alan Rick (9,9%), Socorro Neri (9,2%), José Bestene (5%), Alison Bestene (2,3%) e Vanda Milani (1,3%).

Acesse o link a seguir e confira a íntegra da pesquisa: https://fieac.org.br/images/PDF/Sondagem_da_Indsutria_COMPLETO.pdf


gow banner p20