Amazônia

    Jovens artesãos realizam sonho de viver, trabalhar e estudar na floresta

    Projeto de artesanato subsidiado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) é destaque em todo Brasil pela produção de peças de madeira.

    Os artesãos da Associação Seringueira Porto Dias (ASPD) estão cada vez mais empenhados em divulgar seu trabalho de confecção de peças de resíduos de madeira, em especial as gamelas. O motivo é justo! Eles estão comemorando os resultados alcançados nas feiras de artesanato do Brasil e apostam na conquista de novos mercados a partir das plataformas digitais e redes sociais.

    Cada gamela tem uma beleza, única e exuberante pelas cores e formas naturalmente desenhadas. O trabalho de cortar e polir as peças é feito por aproximadamente 10 jovens que residem no projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Porto Dias, onde funciona a ASPD. É uma das últimas áreas de florestas do município de Acrelândia onde a economia de base florestal tem sido uma das únicas fontes de trabalho e renda para as famílias.

    O secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani, explicou que a Sema desenvolve ações ligadas à subvenção econômica de organizações sociais, fomentando cadeias de valor de produtos florestais madeireiros, como o manejo florestal comunitário e produção de artefatos de madeira nas florestas públicas, projetos de assentamento e terras indígenas. “Hoje temos cinco planos de gestão conveniados, a exemplo do projeto da ASPD, que apoiam as atividades florestais madeireiras no Estado, trazendo alternativa de geração de emprego e renda”, disse.

    De acordo com a coordenadora do Núcleo de Manejo Florestal Madeireiro da Sema, Luciana Rôla, a equipe trabalha alinhada com as necessidades de cada comunidade. “São diversas atividades desenvolvidas, entre elas a articulação e o apoio para capacitações técnicas das comunidades envolvidas, assessoria técnica e administrativa, desde a elaboração dos planos de gestão até a prestação de contas, articulação de pesquisas, participação em seminários, feiras, intercâmbios, além do apoio à diversificação da produção para sustentabilidade dos negócios”, frisou.

    As atividades são financiadas pelo Programa de Desenvolvimento Sustentável de Estado do Acre (PDSA/BID).

    artesanato 01 web

    Parceria com a Artesol

    Dos resíduos do manejo florestal, as gamelas surgem com um toque especial, desenhadas pelas mãos dos jovens e repletas de significados. Foi em busca desses significados, impressos nas peças e vistos pelos olhos mais apurados, que o consultor Júlio Ledo foi enviado para conhecer a comunidade. Júlio foi até a ASPD para registrar oficialmente a inclusão do projeto na Artesol, uma rede nacional de artesanato.

    A equipe da Sema articulou esse contato durante o 13º Salão do Artesanato Raízes Brasileiras realizado no mês de outubro, em São Paulo, e ofereceu condições para que o consultor chegasse até a zona rural de Acrelândia para acompanhar de perto o processo de produção das peças. Ao chegar na comunidade, Júlio ficou encantado com a história de vida dos jovens e realizou uma oficina motivacional com foco na valorização do produto, no caso as gamelas, e na divulgação do projeto nas redes sociais.

    A fala de Júlio sobre as dificuldades que enfrentou até se tornar consultor da Artesol, contagiou os jovens. “As dificuldades existem e precisam ser vencidas. O trabalho deles é magnífico e possui um valor incalculável agregado, que é exatamente a história de vida de cada jovem da comunidade que acredita que é possível viver do artesanato”, comentou Júlio.

    “Nós queremos viver na nossa comunidade, mas com dignidade. Queremos estudar, trabalhar e morar aqui. Eu não quero que esse projeto acabe, para um dia a gente mostrar que essa oportunidade não é só pra mim, mas para todos”, comentou Daiane Nascimento.

    Na Rede Artesol, os artesãos ganharam um perfil na plataforma digital que é referência nacional e internacional sobre o artesanato brasileiro. Eles terão a possibilidade de receber convites para participar de exposições, feiras, fóruns de aprendizagem e eventos, além de estar em conexão direta com consumidores, lojistas, estudantes, pesquisadores, entre outros interessados para parcerias futuras.

    A Artesol é uma organização sem fins lucrativos que atua há mais de 20 anos investindo na valorização e promoção do artesanato tradicional brasileiro, através de estratégias focadas na sustentabilidade ambiental, econômica, social e cultural das comunidades.

    artesanato 02 web

    Educação a distância

    Parece simples querer morar nas comunidades do interior do Acre, mas a realidade é que muitos jovens deixam suas casas em busca de oportunidades de trabalho e o acesso à educação formal. A Sema, junto com a comunidade, tem encontrado algumas alternativas para melhorar as condições de vida e de trabalho. No início de 2020 será realizada a reforma da sede da ASPD e os jovens poderão ter acesso a computador e internet.

    “A internet e os computadores vão ser muito importantes pra gente poder estudar, fazer um curso superior e continuar morando aqui”, falou Daiane.

    Para iniciar a formação dos jovens, a Artesol vai oferecer um curso gratuito, totalmente on-line, com técnicas de fotografia para Instagram, técnicas de vendas e precificação, além orientações sobre como lidar com clientes.

    artesanato 03 webDaiane Nascimento é vencedora na categoria destaque jovem - Foto: Assessoria/Comitê Chico Mendes

    Reconhecimento

    Como reconhecimento do trabalho realizado na ASPD, Daiane Nascimento, foi vencedora da categoria destaque jovem do prêmio Chico Mendes de Resistência em Defesa da Amazônia, uma iniciativa da sociedade civil e de movimentos socioambientais. O prêmio foi entregue no domingo, 15 de dezembro, em Rio Branco.

    Image
    Image