Livro resgata parte da história da medicina no Acre

Aos 85 anos, Silvestre Braz guarda com carinho a memória de quando chegou ao Acre – Fotos: Sérgio Vale

Os desafios de se fazer medicina no Acre nos anos 60 são tema do livro “Memórias de um médico do interior”, escrito por Silvestre Braz da Silva e lançado na noite de segunda-feira, 10, no teatro da Universidade Federal do Acre (Ufac).

Silvestre Braz se formou em medicina no Rio de Janeiro e em 1963, a pedido do então primeiro governador eleito José Augusto, foi colocado à disposição do Estado do Acre, onde considera ter vivido uma experiência única em sua vida.

O governador Tião Viana foi um dos convidados de honra do lançamento do livro, fazendo parte da mesa principal. Ele destacou que conheceu Silvestre Braz ainda quando criança, com quem se consultou e ressaltou a contribuição histórica do médico ao Acre.

Tião Viana foi um dos convidados de honra do lançamento do livro

“Essa é uma linda página da história da medicina do Acre, da história da medicina da Amazônia, que culmina no lançamento desse livro. Eu tinha dois anos quando ele chegou em 63 e virou essa pessoa que seguiu todos os passos do aprendizado que um médico do interior precisava ter”, conta o governador.

Hoje, aos 85 anos, Silvestre Braz guarda com carinho a memória de quando chegou ao Acre, período onde havia apenas doze médicos para o estado inteiro, com desafios a perder de vista, superando dificuldades por estarem longe dos grandes centros, com falta de insumos e estrutura.

“Eu não produzi esse livro pensando em fazer uma obra literária ou científica, eu queria apenas botar a experiência de alguém que trabalhou desde a ponta, numa equipe de saúde da família, até a gestão. Eu passei por todos os níveis de atenção. E quero lembrar que o que se passou nessa história ainda é realidade em vários lugares do Brasil”, disse o doutor Silvestre.

“Memórias de um médico do interior” já está disponível em livrarias na capital.

Agência Notícias do Acre