Julgamento do TJD-AC tem punições pesadas para ex-Galvez e ex-Plácido de Castro

Resultado julgalmento TJD-AC sessão de 16 de maio – Foto: Divulgação/FFAC

Com exceção do São Francisco, os outros nove clubes que disputaram o Campeonato Acreano 2019 tiveram membros no “banco dos réus” em julgamento na sessão da Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva do Acre (TJD-AC), na quinta-feira (16), na sede da Federação de Futebol do Acre (FFAC), em Rio Branco. Apenas Independência, com o presidente José Eugênio Leão Braga, e o Andirá, com o preparador físico Afonso Alves, tiveram representantes na sessão.

Ao todo, 22 nomes, entre atletas e membros de comissão técnica foram julgados. Alguns receberam apenas advertências, outros foram punidos partidas de suspensão e outros com multas.

As punições mais pesadas foram aplicadas ao atacante Ismael, atualmente no Atlético-AC, que atuou pelo Plácido de Castro no estadual e recebeu quatro jogos mais 180 dias de suspensão, e ao goleiro Máximo, ex-Galvez, que foi multado em R$ 800 e recebeu 10 jogos de suspensão.

Ismael foi enquadrado no artigo 254-A (Praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente), II (desferir chutes ou pontapés, desvinculados da disputa de jogo, de forma contundente ou assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido), c/c o 254 parágrafo 3º (Se a ação for praticada contra árbitros, assistentes ou demais membros de equipe de arbitragem, a pena mínima será de suspensão por cento e oitenta dias), do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

Já Máximo foi julgado com base no artigo 243-F, cap (Ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto. Pena: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais), e suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a noventa dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código), e paragráfo 1º (Se a ação for praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, contra árbitros, assistentes ou demais membros de equipe de arbitragem, a pena mínima será de suspensão por quatro partidas).

Os punidos podem recorrer da decisão da comissão disciplinar do TJD-AC.

Globoesporte.com/ac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *