Jovem sai para caçar com amigos e é achado morto quatro dias depois em rio

Suspeita é que Jardesson tenha morrido com tiro acidental de armadilha que montou – Foto: Arquivo pessoal

Jardesson da Silva Maia saiu de casa no último sábado (11) para caçar com amigos em uma comunidade do município de Rodrigues Alves, no interior do estado.

No último domingo (12), Maia deixou um acampamento onde estava com o grupo para resgatar uma espingarda que tinha instalado como armadilha para animais na floresta e não retornou.

No dia seguinte ao desaparecimento do jovem, os amigos ainda encontraram a arma, a roupa dele e alguns utensílios, mas não conseguiram localizá-lo.

A família acionou o Corpo Bombeiros, que se prepara para ir ao local com apoio de homens da PM, por se tratar de uma região no limite da fronteira, onde há a ação de traficantes brasileiros e peruanos.

Orientados pelo Corpo de Bombeiros, familiares voltaram à comunidade para fazer buscas superficiais no igarapé Branco, afluente do rio Paraná do Mouras, onde ele teria desaparecido e nesta quinta-feira (16) e conseguiram encontrar o corpo flutuando.

De acordo com o comando do Corpo de Bombeiros, a suspeita é que Maia tenha sido vítima de um disparo acidental da sua própria espingarda. Com a enchente do igarapé, o dispositivo que acionava a armadilha foi coberto pela água e ele teria mergulhado para tentar desativar.

O corpo de Maia foi levado para o IML de Cruzeiro do Sul na tarde de quinta-feira (16) e, depois de passar por exames para identificar as causas da morte, foi liberado para a família que levou o rapaz para o velório em Rodrigues Alves, onde foi sepultado ainda na noite de quinta.

Portal G1/AC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *