Política

Política

Secretário de Estado de Educação é recebido pela Comissão de Educação da Aleac

Os deputados que compõem a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) receberam na manhã desta quarta-feira (4), o secretário Estadual de Educação, Mauro Sérgio, para uma sabatina.

A presença do gestor no Poder Legislativo foi solicitada pelo deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) que apresentou requerimento após um grupo de professores do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do ensino especializado que lida com alunos portadores de necessidades especiais denunciar que alguns estariam sendo desligados da rede de ensino.

Dentre as denúncias feitas pelos professores, turmas do EJA estariam sendo fechadas e profissionais do ensino especializado estariam sendo dispensados de suas funções. Ao ser questionado sobre as denúncias pelo deputado Edvaldo Magalhães, o gestor explicou que as mudanças programáticas no EJA ocorreram devido o modelo de ensino ser semestral.

“No início de 2019, mais de 19 mil alunos estavam matriculados neste módulo, porém, neste segundo semestre, na matrícula, apenas 12 mil se mostraram interessados em continuar os estudos. Com a redução de alunos, tivemos que fazer uma readequação no número de professores, mas estamos fazendo um esforço para reaproveitar esses profissionais em outros módulos de ensino”, explicou.

Edvaldo Magalhães disse ao secretário que recebeu a informação de que mais de 1.000 professores foram desligados da rede de ensino, Mauro Sérgio rebateu a informação. “135 profissionais estão sendo desligados, sendo 23 na capital e 110 no interior do Estado”, disse.

Sobre a realocação dos estudantes do EJA, o secretário relatou que existe uma dificuldade levando em conta os territórios dominados por facções criminosas no Estado. “Fizemos um levantamento criterioso para redistribuir os alunos para completar turmas. Existe uma realidade que nos bate à porta por causa dessa questão de território. Um aluno de um bairro não pode estudar em outro bairro e por aí vai. Levamos em conta isso. É importante ressaltar que nenhum aluno do EJA ficou sem estudar, pelo contrário, todos têm garantias de que terão professor e uma sala de aula, por isso a readequação está sendo feita”, enfatizou.

A coordenadora do EJA, Patrícia Souza, explicou que mais de 90% dos contratos dos professores são provisórios justamente devido a dinâmica de ter mais ou menos alunos disponíveis. “Tem aluno que faz a matricula no primeiro semestre e no segundo semestre não aparece para o processo, por essa razão, há sempre uma redução de alunos”, salientou.

Após ouvir atentamente o gestor e sua equipe, o deputado Edvaldo Magalhães agradeceu ao Secretário Mauro Sérgio pelos esclarecimentos. “Me dou por satisfeito. Nós fomos procurados pelos professores e por este motivo tínhamos que esclarecer essas questões evolvendo o EJA e as demissões dos profissionais do ensino especializado. No mais, quero frisar que continuaremos à disposição para ajudar no que for preciso para o bom funcionamento da SEE. Os nossos professores e alunos merecem o melhor sempre”, disse.

O presidente da Comissão de Educação, deputado Antônio Pedro (DEM) finalizou a reunião também agradecendo ao secretário Mauro Sérgio. Destacou ainda que a Educação é uma área importante e que o atual governo tem trabalhado para solucionar o máximo de demandas possível.

“Essa nova gestão tem tudo para dar certo, e se Deus quiser vai dar. Agradeço a presença de todos, inclusive, do secretário, que se dispôs a vir aqui responder todos os questionamentos. A educação é um dos setores mais importantes do Estado e o governador e sua equipe têm se dedicado a oferecer o melhor a todos os acreanos. Esse é o nosso objetivo”, finalizou.


gow banner p20