Política

Política

Depasa apresenta planejamento estratégico para os próximos quatro anos

Gestores, técnicos e demais servidores das áreas operacional, administrativa e obras do Departamento Estadual de Água

e Saneamento- Depasa, se reuniram no auditório da Secretaria de Estado da Educação na sexta-feira, 19, para a apresentação do planejamento estratégico da autarquia para os próximos quatros anos.

De acordo com o documento, no Acre, atualmente, 480 mil famílias são atendidas com água. Mais de 100 mil com o esgotamento sanitário. O principal objetivo para os próximos quatro anos é ampliar a cobertura do sistema e promover a universalização do abastecimento de água.

O novo plano objetiva ainda fortalecer o desenvolvimento institucional e tecnológico; reduzir o desperdício em todos os processos captação, adução, tratamento, armazenamento e distribuição; implantar melhorias de captação; implantar o sistema de gestão 5S; concluir todas as obras em atraso e garantir o cronograma das obras em andamento.

Para tanto, algumas estratégias serão a implantação de logística reversa para destinação de resíduos sólidos gerados pelo Depasa; garantir o equilíbrio financeiro, promover o desenvolvimento profissional; implantar novas tecnologias de gerenciamento de obras, como a Plataforma BIN e trabalhar como foco nos resultados. “Não é por ser uma autarquia de direito público que as coisas serão feitas de qualquer jeito”. Destacou a chefe do departamento de planejamento, Yara Arcanjo, ao apresentar o plano e trabalho do Depasa.

Para atender os objetivos, um novo organograma foi elaborado. O Departamento de Água e Saneamento atua na capital e em todos os municípios do Acre. “A nova estrutura foi pensada para que o Depasa preste um serviço de qualidade à sociedade. O objetivo é fazer com que a estrutura funcione de maneira harmônica e com divisão de responsabilidades” destacou o diretor de planejamento e obras Jamerson Cavalcante, ao apesentar o organograma do Depasa a toda equipe.

Para o diretor presidente do Depasa, Zenil Chaves, a participação e o envolvimento de todos é fundamental para que a aplicação do plano tenha êxito. “O operacional, que atua todo dia na captação, tratamento e distribuição, por exemplo, é quem pode nos indicar quando o produto químico está para acabar, quando nossa adutora não está boa, se há dificuldade pra abastecer. A participação do operacional, assim como de todos os demais nas suas respectivas áreas é fundamental para que possamos cada vez mais melhorar o nosso sistema”, disse Zenil.

Agência Notícias do Acre


gow banner p20