Política

Política

PDT vai à Justiça Eleitoral em busca do mandato de vereador Ronaldo Onofre

O diretório do PDT regional deve ingressar, nesta terça-feira (9), em Rio Branco, com

representação junto à Justiça Eleitoral requerendo o mandato do vereador por Cruzeiro do Sul Ronaldo Onofre. Outra representação, também com a pretensão de tirar o mandato do vereador, será feita pelo primeiro suplente, conhecido como Parente. As informações foram confirmadas pela assessoria do deputado estadual Luis Tchê, presidente regional da sigla, além do diretório municipal do PDT em Cruzeiro do Sul.

As representações contra o vereador fazem parte do rescaldo da votação ocorrida nesta segunda-feira (8), na Câmara Municipal de Vereadores, do projeto de lei proposto pelo prefeito Ilderlei Cordeiro (PP), pedindo autorização para contratar, junto à Caixa Econômica Federal, empréstimo no valor de R$ 1,5 milhão para financiar a recuperação da infraestrutura da cidade. O projeto foi aprovado por 7 votos a 6. Um dos seis votos contrários foi o do vereador Ronaldo Onofre, o que caracterizou desobediência e infidelidade partidária.

O PDT fechou questão em torno da aprovação da proposta, com seus quatro vereadores, como partido da bancada de apoio ao prefeito na Câmara. Dos quatro, Chaguinha do Povo, Kelleo e Ocenir votaram com a orientação do Partido. Onofre teria se revelado confiante de que, apesar do fechamento de questão ter sido inclusive registrado em ata, terminaria o mandato por causa da lentidão da Justiça em relação à questão da infidelidade partidária.

Em Cruzeiro do Sul, os vereadores Marivaldo da Varzea e Luiza Bruneta perderam os mandatos em decisão unânime do Tribunal Regional Eleitoral (TER) também por infidelidade partidária. Eleitos pelo MDB, eles migraram para o PP e os dirigentes da primeira sigla entraram na Justiça e conseguiram reaver os mandatos sob o argumento de que eles cometeram infidelidade partidária. A situação de Ronaldo Onofre deve seguir o mesmo caminho.


gow banner p20