Polícia

Polícia

Acusado de estelionato é preso ao se passar por advogado e dar golpe em idosos no interior do Acre

Um homem, de 44 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Civil em Brasileia, interior do Acre, suspeito de se passar por advogado

e dar golpe em idosos. O suspeito é natural do Rio Grande do Sul (RS) e está no Acre há mais de um ano.

A prisão ocorreu na tarde de quinta-feira (25) em flagrante. Segundo a polícia, o homem se apresentava como advogado para os idosos, mas não apresentava nenhum documento que comprovasse a profissão.

A polícia chegou até o suspeito depois que uma vítima achou estranha a forma como o suposto advogado trabalhava, que não mandava nenhum número de requerimento do processo, e acionou a polícia.

Na casa do suspeito, a polícia disse que encontrou diversos documentos e comprovantes de pagamentos falsos que ele enviava para os clientes. O delegado Rêmullo Diniz, responsável pelas investigações, explicou que o suspeito fez vítimas nas cidades de Brasileia, Assis Brasil e Epitaciolândia.

“Já tem passagem por estelionato no Rio Grande do Sul, inclusive, estamos investigando se tem em outro estado. Aqui no Acre se passou por advogado, se apresentava para as vítimas e também em um escritório de contabilidade, onde precisou fazer uns cálculos para emissão de dívidas e recolhimento. Arrecadava os valores das vítimas alegando que iria quitar as dívidas dessas pessoas junto ao INSS e também organizar a documentação para que essas pessoas se aposentassem”, explicou.

Prejuízo de R$ 30 mil

Diniz acrescentou que o criminoso conseguiu tomar mais de R$ 30 mil, entre os meses de junho e julho, de quatro vítimas. Além disso, o delegado disse que o suspeito procurava sempre idosos em busca da aposentadoria.

“Ia na conversa, com uma lábia fácil e, como se fosse advogado, conseguia angariar o cliente e convencia de que ele deveria ser o responsável por fazer os pagamentos das guias de recolhimento de GPS [Guia da Providência Social] junto ao INSS, que são os valores de vida a títulos de recolhimento previdenciário”, frisou.

A polícia acredita que o suspeito tenha feito outras vítimas em mais cidades do Acre. Isso porque, segundo Diniz, foram encontrados documentos em nome de outras pessoas na casa dele. O homem responde ainda há um processo por estelionato no Rio Grande do Sul.

“As pessoas repassavam os valores para ele, e ele com comprovantes de pagamentos mandava documentos falsos. Esses documentos foram apreendidos na casa dele, além de vídeos e fotos que mandava para as pessoas como se tivesse feito o pagamento em uma casa lotérica. Só que, esse pagamento nunca foi feito, era falso”, reforçou.

Portal G1/AC


gow banner p20