Polícia

Polícia

Mulher que perdeu bebê após ser ferida a golpes de facão pelo amante denuncia ameaças

Mônica Conceição, de 21 anos, fez uma denúncia na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, em Cruzeiro

do Sul, interior do Acre, nesta quarta-feira (10), contra o homem que tentou tirar sua vida no dia 1º de abril deste ano.

Segundo a mulher, depois que voltou para casa, ela e sua família passaram a sofrer ameaças do suspeito.

Mônica passou mais de um mês em tratamento em Rio Branco, depois que levou vários golpes de facão que atingiram sua cabeça, o braço, a mão e uma perna.

O suspeito, João Dias, de 42 anos, teve um caso com a mulher que ficou grávida no relacionamento, mas perdeu a criança depois que sofreu a tentativa de homicídio.

A mulher estava no banheiro quando foi atacada. Um filho e a mãe dela também foram feridos a golpes de facão, mas os cortes foram menos graves.

Mônica foi transferida de Cruzeiro do Sul para Rio Branco, onde passou vários dias na UTI, mas apresentou melhora e retornou para sua casa no ramal do Badejo do Meio, em Cruzeiro do Sul, onde o crime ocorreu.

Segundo ela, depois que retornou, passou a receber ameaças do suspeito, que foi preso três dias após a tentativa de feminicídio e continua no presídio.

“Ele ameaça e conta para a mãe dele que vai fazer de novo. Quando sair vai terminar o serviço que começou. Diz que ainda não fez como queria, vai fazer quando sair”, conta a mulher.

A mulher que se envolveu com agressor, agora conta com o apoio o marido com o qual já tinha quatro filhos.

Ela ainda está em recuperação e lembra como foi o dia das agressões sofridas pelo homem com o qual teve um relacionamento e seria o pai da criança que ela perdeu após a tentativa de feminicídio.

“Ele queria casar comigo e eu não quis e, no dia, só vi quando ele chegou com o facão e disse: ‘perdeu, perdeu vagabunda’. Aí ele já chegou abarcando e eu acho que ele fez isso porque ele não queria que eu ficasse com o meu marido, queria que eu ficasse com ele”, disse.

Com medo das ameaças, Mônica prestou queixa nesta quarta-feira à polícia. “Estamos fazendo as oitivas necessárias dessa jovem que está, inclusive, na cadeira de rodas para que tenhamos as informações dessa situação e consigamos incriminar o autor das ameaças”, afirmou o delegado Alexnaldo Batista.

Portal G1/AC


gow banner p20