Polícia

Polícia

Bombeiros registram 12 mortes por afogamento em menos de seis meses no Acre

Um levantamento do Corpo de Bombeiros aponta que 12 pessoas morreram por afogamento em cinco

cidades do Acre em menos de seis meses. O levantamento considerou os dados de janeiro até a última sexta-feira (21) nos municípios de Rio Branco, Bujari, Plácido de Castro, Porto Acre e Senador Guiomard.

Conforme o major Cláudio Falcão, dos bombeiros, as cinco cidades são atendidas pelas equipes da capital acreana. Ele afirma que a maioria dos casos estão relacionados a pessoas que fazem uso bebida alcoólica.

“A ingestão de bebida alcoólica e a não observância de segurança nos rios são as principais causas de afogamento. Ali na região do Centro de Rio Branco, por exemplo, as pessoas costumam ingerir muita bebida alcoólica nos bares e depois querem atravessar o rio de um distrito para o outro e isso acaba, muitas vezes, resultando em óbitos por afogamento”, disse o major.

Redução nos últimos 20 anos

Os dados mostram ainda que em todo o ano de 2018 foram registradas 26 mortes por afogamentos nas cinco cidades. Apesar do número alto de casos em 2018, o major afirma que houve uma redução em relação aos últimos 20 anos.

“É um número alto, mas tem um detalhe, há 20 anos, nós tínhamos o dobro dessas ocorrências. Então, nós investimos muito, nos últimos anos, na prevenção, educação e campanhas e conseguimos diminuir, pelo menos, 50% das ocorrências. Vale destacar também que para cada morte por afogamento, nós temos, no mínimo, 10 afogamentos que não resultam em óbitos”, afirmou.

O major faz um alerta sobre os cuidados que as pessoas devem tomar para evitar esse tipo de acidente. Segundo ele, as crianças devem ficar constantemente sob a supervisão de um adulto, também é importante evitar tomar banho e nadar em locais que não conhece.

Com relação aos adultos, Falcão orienta que não entrem em rios, lagos e açudes ao ingerirem bebidas alcoólicas.

Portal G1/AC


gow banner p20