Economia

    Coluna Desenrolando: FGTS rendendo mais que a poupança?

    Continua dando o que falar a liberação do saque do FGTS anunciada pelo governo federal. Milhares de trabalhadores

    estão na expectativa para sacar os valores referentes a contas ativas ou inativas, cujo calendário prevê o início a partir de setembro.

    Entre as medidas, uma chamou a atenção do cidadão mais atento: O governo anunciou que haverá a distribuição de 100% do lucro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço aos trabalhadores a partir deste ano, o que vai gerar um rendimento superior à variação da poupança. Ou seja, R$ 12 bilhões do lucro do FGTS em 2018 serão distribuídos aos trabalhadores já a partir deste mês.

    Em outras palavras, a expectativa é de que o FGTS tenha uma rentabilidade de 6,18% ao ano se tornando o melhor “produto” em renda fixa. Na semana passada a taxa mãe da economia do Brasil teve redução, o que gerou um efeito em cadeia. Dessa forma, a poupança passa a render 4,13% ao ano, enquanto a taxa CDI (Certificado de Depósito Interbancário) utilizada em muitas operações como referência, deve ter uma rentabilidade de 5,9%. Deu pra entender por que muita gente está pensando em não sacar os valores das contas do FGTS?

    Atualmente, as contas do FGTS rendem ao menos 3% ao ano, mais TR (Taxa Referencial, uma taxa de juros calculada pelo Banco Central que atualmente está zerada) e um percentual de 50% lucro líquido do fundo, o que, em termos de investimento, representa uma perda considerável de recursos, pois dessa forma, o valor acumulado no FGTS rendia ainda menos que a poupança. A distribuição dos lucros ocorre anualmente e é calculada com base em operações financeiras do fundo gerido pela Caixa, como financiamento de projetos de infraestrutura, títulos públicos, entre outros.

    Os trabalhadores não são obrigados a sacar os recursos, mas aqueles que possuem conta na Caixa precisam comunicar o banco de que não querem sacar os valores. A mudança deixou muita gente em dúvida se vale a pena ou não sacar, já que o limite é de até R$ 500, mas para essa pergunta não existe resposta pronta, afinal, depende dos seus planos para o dinheiro.

    Quem tem dúvidas sobre o saque do FGTS pode acessar o site para informações (www.fgts.gov.br) ou entrar em contato por meio do telefone 0800 726 0207. E se você ainda está por fora do calendário de pagamento, confira abaixo:

    Calendário para quem tem conta poupança na Caixa:

    • Aniversário em janeiro, fevereiro, março e abril: crédito em conta a partir de 13/09/2019
    • Aniversário em maio, junho, julho e agosto: crédito em conta a partir de 27/09/2019
    • Aniversário em setembro, outubro, novembro e dezembro: crédito em conta a partir de 09/10/2019
    • Calendário para quem não tem conta poupança na Caixa:
    • Aniversário em janeiro: a partir de 18/10/2019
    • Aniversário em fevereiro: a partir de 25/10/2019
    • Aniversário em março: a partir de 08/11/2019
    • Aniversário em abril: a partir de 22/11/2019
    • Aniversário em maio: a partir de 06/12/2019
    • Aniversário em junho: a partir de 18/12/2019
    • Aniversário em julho: a partir de 10/01/2020
    • Aniversário em agosto: a partir de 17/01/2020
    • Aniversário em setembro: a partir de 24/01/2020
    • Aniversário em outubro: a partir de 07/02/2020
    • Aniversário em novembro: a partir de 14/02/2020
    • Aniversário em dezembro: a partir de 06/03/2020
    Image
    Image