Amazônia

Amazônia

Junho foi o mais quente dos últimos 140 anos na Terra, afirma NOAA

O mês passado foi o junho mais quente em 140 anos, registrado por observatórios de meteorologia em todo o mundo,

de acordo com o relatório mensal sobre o clima global divulgado na última quinta-feira (18) pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA).

Nove dos dez meses mais quentes de junho na Terra foram registrados, a partir de 2010. Este ano ocorreu o 43º mês de junho consecutivo e do 414º mês consecutivo com temperaturas acima da média do século 20, de acordo com o relatório da NOAA.

Europa, Ásia e África, além do Havaí e da região do Golfo do México, experimentaram o mês de junho mais quente de seus anais meteorológicos, e o sul do França registrou uma temperatura recorde perto de 46° C.

O relatório da NOAA estima que o número médio de dias por ano, quando o calor excederá 41° nos Estados Unidos, deverá mais do que quadruplicar, indo para 24 até 2050, e que haverá uma média de 40 dias com temperaturas superiores a 41° no país ao final do século.

Por outro lado, escreve NOAA em seu relatório, a camada de gelo da Antártida diminuiu em níveis recordes durante o segundo mês em junho. A área média da superfície de gelo da Antártida se encontra atualmente 8,5% abaixo da média das últimas duas décadas.

No Ártico, a extensão do gelo foi em junho a 10,5% abaixo da média de 1981-2010, quase um recorde. A temperatura média da superfície dos mares do mundo neste junho de 2019 ficou acima da média global de 16 ° Celsius, igualando o nível recorde alcançado em 2016.

Para a NOAA, já é certo que 2019 estará entre os cinco anos mais quentes registrados no mundo desde o estabelecimento de registros meteorológicos.


gow banner p20