Geral

Geral

Pesquisadores preparam Zoneamento de Risco Climático para plantio de soja no Acre

A equipe técnica da Embrapa deu início à elaboração do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) da Soja no Acre.

O objetivo da pesquisa é minimizar os riscos relacionados aos fenômenos climáticos extremos e permitir aos municípios identificar a melhor época de semeadura e plantio da soja nos diferentes tipos de solo e regiões do estado.

Os produtores rurais acreanos têm apostado no cultivo de soja como forma de recuperar pastagens degradas, na safra 2018/2019, foram cultivados 1.700 hectares e na safra 2019/2020 essa área deve superar 2.000 hectares, conforme dados levantados pela Embrapa.

O Zoneamento de Risco Climático é um instrumento de política agrícola e gestão de riscos na agricultura que subsidia financiamentos. “Há a necessidade de disponibilizar dados atualizados sobre clima e solo para a tomada de decisão por parte dos produtores rurais quanto à época de plantio, com o intuito de diminuir perdas e aumentar a produtividade da cultura”, afirma o pesquisador da Embrapa Acre, Idesio Franke.

No Acre, as regiões, que possuem cultivos, apresentam aptidão de solo para a produção mecanizada e existe a necessidade de discutir aspectos relacionados às janelas de plantio em função da textura do solo e condições climáticas, em particular ao regime de chuvas, para evitar que adversidades climáticas coincidam com fases sensíveis das culturas.

Reunião Técnica 

Produtores, técnicos rurais e pesquisadores da Embrapa Acre se reuniram no dia 17 de setembro para discutir datas ou períodos de semeadura da cultura como forma de convalidar, divulgar e atualizar o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para o cultivo da soja (safra convencional) com foco nas regionais de desenvolvimento Alto e Baixo Acre.

Com a opção de adiantar ou atrasar o cultivo, a decisão dos produtores quanto à época do plantio de soja leva em consideração a possibilidade e a necessidade da entrada e circulação de máquinas nas áreas de cultivo para obtenção da máxima produtividade.

“Os produtores falaram sobre a necessidade de ter disponíveis máquinas e implementos agrícolas em condições adequadas nas diversas etapas do cultivo, em especial no plantio e na colheita, para aproveitar ao máximo as pequenas janelas climáticas para a realização das etapas do cultivo da soja”, declara Franke.

ILPF

A Integração Lavoura Pecuária (ILP) foi apontada pelos produtores rurais como sistema importante para constar no Zoneamento. Segundo o pecuarista Assuero Veronez, o cultivo de soja proporcionará redução nos custos de produção e aumento da renda. “A soja é importante na produção de ração para bovinos por reduzir os custos do semiconfinamento e viabilizar uma pecuária rentável”, declara.

ZARC

Coordenado pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas - SP), o ZARC transmite recomendações aos produtores para que estes façam jus ao Seguro Rural denominado Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), ao Proagro Mais e à subvenção federal ao Prêmio do Seguro Rural, desde que o produtor observe as recomendações do Zoneamento.

Soja no Acre

Além do aumento das áreas cultivadas, o rendimento médio da lavoura também melhorou. Em 2017 foi de 2.055 quilos por hectare, já na safra de 2018 o rendimento produtivo aumentou para 2.938 quilos por hectare, com a produção de 1.410 toneladas em 480 hectares, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Valor Bruto da Produção (VBP) de soja no Acre, de janeiro a abril de 2019, foi de R$ 1,6 milhão, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).


gow banner p20