Geral

    Sindicato dos Urbanitários aponta irregularidades em edital do Depasa

    O Sindicato dos Urbanitários do Acre se posicionou nesta semana contra o edital do processo seletivo simplificado do Departamento Estadual de Águas e Saneamento do Acre (Depasa)

    lançado pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) na última segunda-feira, 12. Isso porque os membros da Diretoria da entidade detectaram diversas irregularidades no novo certame.

    Marcelo Jucá, presidente da instituição representativa, diz que entre as falhas do processo seletivo estão a ausência de profissionais fundamentais para os serviços do Depasa: biólogo, técnico e engenheiro em segurança do trabalho, pedido de Ensino Fundamental incompleto para cargos em que os ocupantes precisam de Ensino Médio completo e salários abaixo do valor devido para diversos cargos disponibilizados no concurso público simplificado.

    “O setor jurídico e a Diretoria do Sindicato encontraram diversas questões diferentes no edital do que deveriam ser. Para o cargo de desenhista, por exemplo, o certame diz que os concorrentes podem se candidatar sem o Ensino Fundamental completo, o que é muito estranho. Além disso, muitos cargos estão com os valores muito abaixo do salário mínimo, uma clara precarização”, fala Jucá.

    O edital disponibiliza 490 vagas para nível Fundamental e Superior. Jucá ressalta que auxiliar de laboratório é um dos cargos que têm salário abaixo do mínimo. “O edital diz que o vencimento é de R$ 900 com complemento de R$ 98 para alcançar o salário mínimo, mas isso não existe em lugar nenhum”. O presidente afirma que em uma reunião com o governador Gladson Cameli foi cobrado o pagamento de adicional insalubridade e outros direitos que os atuais trabalhadores não recebem.

    Ainda segundo o presidente sindical, a instituição ingressará com ação na Justiça acreana para suspender o edital e solicitar um novo com a correção das irregularidades presentes. “Queremos explicações por parte do Depasa em relação a esse edital. Ao invés de adequar e melhorar os serviços, essas questões podem complicar ainda mais algo essencial”, finaliza Jucá.

    Image
    Image