Geral

Geral

Servidores da saúde em Brasileia cruzam os braços em greve e postos estão fechados

Servidores municipais de saúde em Brasileia estão de braços cruzados desde o início do expediente

nesta segunda-feira 12, em protesto contra o que consideram desrespeito à categoria por parte da prefeitura administrada pela prefeita Fernanda Hassem (PT). A paralisação faz parte de um dia de greve e advertência em relação a uma possível greve geral em data ainda a ser definida em protesto pela suspensão das negociações para aprovação do PCCR (plano de carreira) da saúde municipal.

O presidente do Sindicato dos Servidores de Saúde de Brasileia (Sindsbras), Francisco de Assis Dantas Castro, disse que as negociações vêm se arrastando desde administração anterior à Fernanda Hassem, em 2011. “Mas as negociações também não avançaram em relação à atual gestão e por isso decidimos parar as atividades por um dia”, disse Dantas Castro. Os postos de saúde do município, nas zonas rural e urbana, permanecem fechados e assim devem continuar até o final da tarde.

De acordo com o presidente do Sindicato, a paralisação foi decidida em assembleia geral do último dia 30 de julho e uma nova greve, sem data definida para terminar, deve ser convocada caso a prefeita Fernanda Hassem não volte à mesa de negociações com a entidade. “Nós não queremos radicalizar, mas se não houver avanços, não teremos outra alternativa”, disse Dantas Castro.


gow banner p20