Geral

    Pai de jovem morto em acidente acusa Ministério Público do Acre de negligência

    O servidor público João do Nascimento Rodrigues, de 56 anos, está inconformado com a atuação do Ministério

    Público do Acre (MPAC), no processo que apura morte do filho dele e um amigo, em um acidente de trânsito ocorrido em 19 de maio do ano passado. A revolta de Nascimento se acentuou depois que viu, por meio da imprensa, a condenação de um outro motorista que atropelou e matou uma garotinha de 3 anos, um mês após a morte do filho dele.

    “Eu quero saber porque o Ministério Público denunciou pelo crime de homicídio doloso esse rapaz que matou a garotinha e por culposo, o motorista que assassinou meu filho e o amigo dele? Preciso que isso me seja explicado. São casos semelhantes, porém, no do meu filho foram duas mortes, um duplo homicídio e o promotor se posiciona diferente. Isso só faz aumentar minha dor e minha revolta”, protestou ele.

    João Nascimento disse que no dia seguinte ao acidente, o motorista, identificado como Diego Felipe Mores, foi colocado em liberdade após audiência de custódia. No dia 6 de junho, Mores conseguiu na justiça, o direito de responder ao processo em Santa Catarina, estado onde reside. “Vejo uma injustiça da justiça. O caso da garotinha, que aconteceu depois, foi julgado antes e até agora, o autor das mortes do Gilson e do Israel continua vivendo como se nada tivesse ocorrido. É muito sofrimento para nossas famílias¨, lamentou.

    MPAC não vai se manifestar – Procurado por meio da assessoria de imprensa para comentar o caso, o Ministério Público do Acre informou que não vai se manifestar.

    Agência Contilnet

    Image
    Image