Esportes

Esportes

Após destaque na Copa do Brasil Sub-17, goleiro do Acre espera oportunidades

Principal nome do Atlético-AC na campanha da Copa do Brasil Sub-17, que terminou nas oitavas de final, o goleiro Rikelmo

, 17 anos, ainda espera que as atuações nos três jogos – contra Verê-PR, na 1ª fase, e contra o Vasco, nas oitavas de final –, lhe abram portas para oportunidades de poder mostrar ainda mais as qualidades debaixo da trave.

Ele atuou no Galo Carijó emprestado pelo Galvez, clube que defendeu desde os 14 anos. Sem propostas oficiais, diz que a ideia é seguir treinando e a preferência no momento é seguir no Atlético-AC.

– Estava esperando propostas aparecer, mas até agora não chegou anda até mim. É só continuar treinando pra ficar preparado e ver se aparece algumas oportunidades. Estou pensando em ficar pelo Atlético-AC. Vou falar com o Oziel (Moreira, técnico do Galvez). Achei um clube legal, conheço a rapaziada todinha lá, e foi o Atlético-AC que me deu essa oportunidade – afirma.

Rikelmo revela que após a classificação contra o Verê não acreditou que a equipe acreana tinha avançado de fase. E ressalta que o que apresentou em campo é fruto de treinamento intensivo.

– Pra mim o primeiro contra o Verê, quando acabou nem acreditei que a gente tinha passado. Mas é treino. Treino bastante, Deus me abençoou e fiz tês jogos jogando bem. É só treinar mais para não ficar parado e evoluir.

O goleiro conta que deixou de estudar para jogar futebol. Ele morava com a avô, que faleceu, e passou a morar com primos. O pai mora em um bairro próximo e mantém contato, apoia o filho na busca pelo sucesso no futebol. A mãe mora no interior. Com ela, Rikelmo não fala há quase uma década.

– Parei no nono ano. Desisti mais para jogar bola. Não me arrependo não. Tenho tempo para terminar os estudos. Moro com um primo e uma prima. Meu pai é o único que me apoia. Minha mãe mora em Acrelândia. Não vejo ela há uns nove anos. Espero que (o futebol) dê certo na minha vida. Deus me abençoar, arrumar um time pra fora pra ajudar minha família. É meu sonho – diz o jovem que é flamenguista, sempre quis ser goleiro e tem como ídolo da posição Felipe, ex-goleiro de Flamengo e Corinthians.

Sobre a origem do nome, o arqueiro diz que foi dado pelo pai, mas nunca procurou saber de onde surgiu.

– Até hoje não entendo. Não cheguei a perguntar a origem – afirma.

Na despedida da Copa do Brasil Sub-17, o Atlético-AC foi goleado por 5 a 0 pelo Vasco, em São Januário. Apesar do placar elástico desfavorável, Rikelmo foi o destaque do jogo pelo Galo Carijó, inclusive defendendo uma penalidade. Ele fala sobre a sensação de jogar em um dos principais palcos do futebol nacional e comenta a atuação, destacando que havia estudado o adversário antes de ir a campo.

– Experiência boa. Cheguei lá e nem acreditei que estava em São Januário. Coisa de outro mundo. Mais um sonho realizado. Eu já tinha estudado o Vasco. O Riquelme, que bateu, é lateral da Seleção Brasileira e já tinha visto vídeos dele. Vi os pênaltis que ele estava batendo e fui naquele canto porque sabia que ele ia bater ali. Não tem comparação o nosso time com o do Vasco. Quando acabou o jogo fiquei triste, mas também fiquei feliz pela minha atuação, pelo jogo fazendo boas defesas e pegando o pênalti – finaliza.

Globoesporte.com/ac


gow banner p20