Cultura

Cultura

Companhia de teatro ‘Tanto de Lá Quanto de Cá’ promove oficinas na capital

A companhia de teatro Tanto de Lá Quanto de Cá realiza nos dias 28 e 29 deste mês (sábado e domingo)

, no Anfiteatro Garibaldi Brasil, localizado na Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco, oficinas gratuitas do II Festival Internacional do Circuito Amazônico de Teatro. As atividades acontecem das 9h às 12h e das 15h às 18h.

As oficinas serão ministradas por Flávio Lofêgo e Yuri Montezuma, integrantes da Cia Tanto de Lá Quanto de Cá e idealizadores do Circuito Amazônico de Teatro.

“Trabalhamos com a resistência para que possamos realizar a 3ª etapa do Circuito em Rio Branco, no ano que vem. Esperamos conseguir apoio dos órgãos públicos em 2020. Infelizmente, em 2019, não conseguimos ajuda, apesar de ter inscrito projetos nos editais de Cultura que estavam abertos”, salientou Yuri Montezuma.

Ele também comentou sobre o cancelamento dos espetáculos do Festival, programados para serem apresentados esse ano no Brasil. “Infelizmente, as etapas do evento foram impossibilitadas de acontecerem por causa dos cortes na Educação, na Cultura, e também de recursos para universidades federais”.

Os ministrantes das oficinas trazem para seus alunos a bagagem adquirida em algumas décadas de atividade teatral ininterrupta exercendo as funções de ator, diretor, produtor, dramaturgo e professor de teatro. Mais informações pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo WhatsApp (68) 99981 7046.

cultura 2Fundada em 2014, a Companhia vem conquistando reconhecimento, tendo se apresentado em 13 Estados brasileiros e realizado temporadas em países vizinhos - Fotos: Divulgação

Sobre a Cia de Teatro Tanto de Lá Quanto de Cá

Fundada em 2014, a companhia acreana de teatro vem conquistando reconhecimento amplo, tendo se apresentado em 13 Estados brasileiros e realizado temporadas e apresentações em várias cidades da Bolívia e Peru. Uma das principais caraterísticas da trupe é a manutenção de um Núcleo de Dramaturgia em caráter permanente, desde 2016. Esse trabalho já resultou na publicação de dois livros, e, em breve, permitirá que a companhia produza preferencialmente textos próprios e inéditos.

No currículo, os espetáculos Menino Nuvem, Noite de Diabo Danado, Oração para um Pé de Chinelo, A Farra dos Inimigos do Povo e No Buraco. Nas excursões da companhia para os países fronteiriços, os contatos de produção possibilitaram a criação de uma associação de produtores e artistas trinacionais, voltados para a ampliação das condições de circulação de seus produtos culturais, motivando assim o surgimento do Circuito Amazônico de Teatro.

Circuito

O circuito foi criado por produtores e artistas de teatro das cidades de Rio Branco, Puerto Maldonado (Peru) e Cobija (Bolívia). A ação teve como objetivo ampliar as condições de circulação das produções culturais. A atividade teatral ocorre em um sistema de produção casada. Ou seja, o produtor local recebe um espetáculo da cidade parceira, e em seguida os produtores desse espetáculo se tornarão produtores locais em sua própria cidade, recebendo o grupo que antes foi o anfitrião. Já estão integrados ao circuito as cidades de Cochabamba e La Paz, na Bolívia, e Chancay e Cusco, no Peru. Em breve outros países, como Argentina, Chile e Uruguai, também deverão aderir ao projeto.

II Festival Internacional do Circuito Amazônico de Teatro

Criado em 2018, o Festival em sua segunda edição vem mantendo sua estrutura trinacional, embora com modificações importantes em relação à sua edição inaugural. Em junho deste ano, foi realizada a etapa peruana do Festival, na cidade de Puerto Maldonado, Peru. A Cia Tanto de Lá Quanto de Cá esteve presente na mostra de espetáculos, com a peça No Buraco, de Yuri Montezuma. A etapa contou também com apresentações de espetáculos dos grupos Taitetu (Bolívia) e dos anfitriões, o grupo Fachas Peru.

A etapa de Rio Branco não ocorrerá esse ano. Os apoiadores da primeira edição do festival, em especial a Universidade Federal do Acre (Ufac), sofreram cortes profundos, e não puderam colaborar nesta edição do Festival. “Para manter o Acre no festival e no circuito, como uma indicação de que em breve os obstáculos serão superados, permitindo a plena realização dessa iniciativa tão importante para trazer espetáculos de outras localidades para nosso público, e também para permitir que nossa produção local seja conhecida fora daqui, optamos por realizar atividades de formação de artistas e público”, disse em uma publicação a Cia de Teatro Tanto de Lá Quanto de Cá.


gow banner p20