Cultura

Cultura

Elza Soares expõe obra inédita da Laerte na capa do disco 'Planeta fome'

Esta é a capa de Planeta fome, o 34º álbum de Elza Soares. Programado para chegar ao mercado fonográfico em 13 de setembro, o disco expõe na capa uma obra inédita da cartunista e chargista Laerte Coutinho, feita sob encomenda para Elza.

Surrealista, a ilustração de Laerte evoca a imagem de um planeta populoso, poluído e diverso entre símbolos oníricos. Um trem atravessa o desenho, remetendo às origens da cantora nascida e criada no subúrbio carioca.

Produzido por Rafael Ramos, o álbum Planeta fome terá um primeiro single, Libertação (Eu não vou sucumbir), veiculado a partir da próxima sexta-feira, 16 de agosto.

Com capa assinada por Filipe Cartaxo, artista responsável pela identidade visual da BaianaSystem, o single Libertação (Eu não vou sucumbir) apresenta música inédita de autoria de Russo Passapusso.

Além do toque da BaianaSystem, a gravação conta com a voz da cantora baiana Virgínia Rodrigues e tem a presença da Orkestra Rumpilezz, representada pela figura de Letieres Leite, maestro e mentor da big-band de Salvador (BA).

Com evocação do universo marítimo do cancioneiro de Dorival Caymmi (1914 – 2008) na letra de Russo Passapusso, Libertação (Eu não vou sucumbir) cai em poderoso suingue baiano, deslocando Planeta fome da órbita carioca do álbum.

Sucessor do álbum Deus é mulher (2018) na discografia de Elza Soares, Planeta fome sai pela gravadora Deck – em edição digital e nos formatos de CD, LP e fita cassete – e tem participações do rapper BNegão e de Rafael Mike, cantor projetado no grupo carioca Dream Team do Passinho. BNegão figura em Blá blá blá. Já Mike é autor e convidado de Não tá mais de graça.


gow banner p20