Prosa poética

Prosa poética

O mérito

Hoje o Acre fixou seu crédito
No banco central da glória
Coisa de entrar para a história
Feito até então inédito
Ao Ayres Rocha o mérito
De pilotar a cadeira
Que levou Cid Moreira
Do prólogo a inatividade
Na maior heroicidade


De toda a sua carreira

Falou à nação inteira
Como se em casa estivesse
Feito que a gente conhece
Coisa pra nós corriqueira
Disse à nação brasileira
Que o Acre existe e é forte
Içou a estrela do Norte
À plenitude do mastro
Com isto fincou seu rastro
Onde não se vai por sorte

A Bahia deu suporte
A baianinha deu show
Cada astro orbitou
Na grandeza do seu porte
Viva o Nordeste e o Norte
Brilha o penhor acreano
Que irmanado ao baiano
Ombro a ombro lado a lado
Cada qual fez seu estado
O laureado do ano

(* )Isac de Melo - Poeta cordelista do Município do Bujari/AC, membro da Sociedade Literária Acreana - SLA.