Poronga

Poronga

Frutos

Em recente encontro com a Prefeita De Rio Branco Socorro Neri e a Secretária de Planejamento da Prefeitura Janete Santos, o ex-deputado federal e ex-prefeito da capital Raimundo Angelim tratou do encaminhamento de 32 Emendas parlamentares para Rio Branco, ainda remanescentes de sua passagem pela Câmara Federal (2014/2018).

Montante

São mais de R$ 13 milhões de reais em recursos para Educação, Cultura, Saúde, Esporte, Infra-Estrutura, Meio Ambiente, Equipamentos Agrícolas, Veículos Utilitários, Academias da Comunidade, Economia Solidária, Assistência Social e outros.

Cronograma

A maioria dessas emendas encontram-se em diferentes estágios: processo de licitação, fase de entrega, empenhadas ou com projetos já aprovados. São benefícios importantes para os moradores de Rio Branco e todas elas objeto de pedidos da comunidade. Há de se destacar o esforço da equipe da Prefeitura para a celeridade na execução dessas emendas.

De mal a pior

O deputado estadual Jenilson Leite ontem usou seu tempo de fala na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) para denunciar o descaso do governo do Acre com a pasta da saúde. “Vocês sabiam que a Maternidade de Tarauacá não tem água para as pacientes tomarem banho? Que o Hospital de Brasiléia está racionando comida? Que no Hospital de Assis Brasil falta médicos, enfermeiros, técnicos e material médico hospitalar? As portas e os portões do Pronto Socorro estão no cadeado”, indagou o parlamentar.

Estranhos no ninho

Jenilson aproveitou a oportunidade para falar sobre a atual equipe que comanda a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). Segundo o deputado o governador Gladson Cameli (PP) “se preocupou em trazer pessoas de fora que não conhecem a realidade do Acre. Há nove meses os servidores aguardam por mudanças pois quase 90% desses trabalhadores votaram no Gladson”, disse.

Decisão radical

Leite recordou que o movimento paradista só foi suspenso após decisão judicial, mas, por meio do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintesac), os trabalhadores da saúde exigem a saída da atual equipe que comanda a pasta. “Os trabalhadores, que estão revoltados, aguardam ansiosos pela decisão do governador Gladson, porque não aguentam mais tratar com uma equipe tão despreparada”, finalizou.

Foco

Em reunião de bancada realizada ontem, terça-feira,17 ,em Brasília, com gestores da segurança pública do estado, a deputada Vanda Milani (SD) confirmou a segurança como prioridade de seu mandato. A parlamentar defendeu uma atenção especial para o setor em nível urbano e rural, com o incremento de recursos humanos, equipamentos e viaturas, “como forma de prevenção e combate à violência que hoje tira a tranquilidade da comunidade acreana”

Reivindicação

Durante o encontra da bancada com os gestores, Vanda Milani aproveitou para solicitar a construção de Centros Integrados de Segurança Pública em localidades como Vila Caquetá (Porto Acre) e Taumaturgo, “uma vez que a insegurança na área rural vem se disseminando e preocupando o setor produtivo rural”.

Aprofundamento

Ficou decidida uma nova reunião de bancada para o início do próximo mês para definir o montante de investimentos a serem aplicados via emenda de bancada. Para Vanda Milani, “a questão da segurança pública vem, hoje, ao encontro dos maiores anseios e preocupações de toda a população acreana”.

Além da queda, o coice!

O governo de Jair Bolsonaro (PSL) avalia autorizar o congelamento do salário mínimo em situações de crise orçamentária do país. Para isso, o Ministério da Economia estaria analisando como retirar da Constituição Federal a obrigação de corrigir o salário mínimo pela inflação, garantido aos trabalhadores brasileiros.

O mínimo do mínimo!

A proposta da pasta de Paulo Guedes é incluir por meio de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) a mudança constitucional, alterando as regras fiscais. O texto já tramita na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, de autoria do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), mas ainda não inclui a abertura para paralisar o salário mínimo dos brasileiros.

Fake news

Contrapondo-se a notícia veiculada pela imprensa no dia de ontem, o governo do estado veio a público negar a informação dando conta que milhares de servidores públicos do estado não procuraram suas secretarias de origens para fazer o recadastramento, e com isso, poderiam ter o contracheque zerado no pagamento deste mês de outubro, vez que pelo menos a metade dos servidores públicos nascidos entre janeiro e abril não teriam feito o recadastramento.

Números

Segundo o governo, pelo levantamento divulgado na manhã de ontem, 17, o número de servidores públicos que fizeram o recadastramento obrigatório em sua primeira etapa chegou a 94,45% do total. Realizada durante todo o mês de agosto, esta primeira etapa do recadastramento envolveu ao todo 8.240 funcionários públicos estaduais nascidos nos meses de janeiro, fevereiro e março.

Fotografia oficial

Segundo dados da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) apenas 2% dos servidores – o que representa 212 funcionários – correm o risco de ficar fora da folha de pagamento no mês de outubro. A Seplag ainda está notificando essas pessoas e elas terão 15 dias a partir da notificação para realizar o recadastramento.

Confusão

O PT decidiu ontem que vai denunciar ao Ministério Público Federal a procuradora da República Thaméa Danelon, integrante do Ministério Público Federal e que tem relação próxima com o coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol.

Público e privado

Ela teria atuado como assistente do advogado Modesto Carvalhosa para minutar o pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes, integrante do Supremo Tribunal Federal. Humberto Costa e os outros parlamentares do PT no Senado anunciaram que vão questionar o subprocurador-geral Augusto Aras na sabatina, na próxima semana, que será promovida pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Sabatina

Aras foi indicado ao cargo de procurador-geral da República pelo presidente Jair Bolsonaro. “Ele terá de dizer se aprova ou não a conduta profissional da procuradora”, anunciou o líder Humberfto Costa. A indicação precisa ser aprovada pelo Senado.

The Intercept

A participação de Danelon na ação contra Gilmar Mendes veio a público na segunda-feira, 16 de setembro. O caso foi revelado pelo jornalista Reinaldo Azevedo, que mantém um blogue no UOL e é comentarista da BandNews FM.

Teia

O teor das conversas apontam que Danelon teria atuado fora da lei contra Gilmar Mendes, que integra a Suprema Corte, por contrariar os interesses da força-tarefa. Ela foi convidada por Aras a assumir a coordenação da Lava Jato na PGR.


gow banner p20