Poronga

Poronga

Aceno

No final de semana a imprensa especulou que a prefeita da capital, a professora Socorro Neri, poderia disputar a reeleição pelo PSD, partido do Senador Sérgio Petecão, atendendo ao aceno para mudança de partido a partir de um convite que seria formulado por uma “comissão especial” do Partido Social Democrático.

Posição

Ante a notícia, Socorro Neri, realçando a convivência fraterna com os Sociais Democráticos, lançou esclarecimento no Facebook, dizendo-se no dever de informar que: 1) Continua firme na decisão de não discutir eleição este ano, entendendo que há o tempo certo para cada coisa e que, agora, o tempo é de muito trabalho. 2) que está em total sintonia com o seu partido, o PSB e que por isso, não há a menor possibilidade de que venha a migrar para outra agremiação partidária.

Reforços

Ainda sobre o senador e presidente regional do PSD, Sérgio Petecão, ele anunciou na manhã de ontem, 16, as filiações do prefeito de Marechal Thaumaturgo, Issac Piãko, do deputado estadual Raimundo Neném e do ex-deputado federal Henrique Afonso. “Estamos em fase de estruturação e fortalecimento do partido”, declarou ele, anunciando ainda 20 outros filiados até o final de semana.

Estratégia

Ainda segundo o senador, a principal estratégia do partido é aumentar o número de cadeiras nos parlamentos municipais. “Estamos com 19 vereadores e, se Deus quiser, chegarem a 40 depois das eleições do ano que vem”, disse.

Terceira via

Quanto à possibilidade de Afonso ser candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, Petecão disse que depende exclusivamente do ex-deputado. “Qual é o dirigente que não gostaria de vê-lo candidato a prefeito? No entanto, essa decisão é muito pessoal”, esclareceu.

Saindo da toca

O consultor Carlos Coêlho, gestor da empresa de consultoria política no estado, a Coêlho & Farias, que nos últimos 8 anos coleciona significativas vitórias no ramo em que atua, qual seja a realização de Planejamentos e/ou Coordenações de Campanhas Eleitorais, ontem lançou nota esclarecendo sua posição quanto ao pleito de 2020, no tocante a disputa pelo paço municipal de Taruacá.

Dentro e fora

Coêlho diz sentir-se na obrigação de informar aos amigos e familiares que não será candidato a Prefeito naquela cidade em2020. Registra, por oportuno, que continuará participando na vida política de Tarauacá e contribuindo com sua cidade através dos trabalhos profissionais, como Consultor Político, por meio da Consultoria Política Coêlho & Farias.

Versão

O prefeito de Senador Guiomard, André Maia (PSD), recém reempossado no cargo com festa e pompas, após quase um ano de afastamento, está a alardear que a decisão da justiça acreana determinando seu retorno ao posto significa o reconhecimento de sua inocência nos processos em seu desfavor, onde seu nome figura como ator principal.

A história verdadeira

Sem fazer juízo de valor, a verdade não é essa. A Justiça do Acre, simplesmente, reconheceu que o fórum adequado para o trâmite do processo não era a esfera estadual, vez que as denúncias tratavam de desvios de recursos advindos do governo federal e, por conta desse detalhe, as apurações deveriam ocorrer no âmbito da Justiça Federal.

Lições bíblicas

Na verdade, o prefeito deveria tomar lição do que lhe aconteceu - quando puxou mais de 40 dias de cadeia - e refletir sobre seus próximos passos. Não custa nada lembrar a passagem de João 8:1:11, pontificado pela mulher adultera nos montes das Oliveiras, quando Jesus perdoou a pecadora: “Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais”.

Presta atenção, André!

André deve ainda ficar atento que cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido. “Não vos enganeis, meus amados irmãos.Tiago 1:14. Mas cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. 15 então a cobiça, havendo concebido, dá à luz o pecado, e o pecado, sendo consumado, gera a morte. 16.”

Meio ambiente

O vice-governador Major Rocha, em audiência com o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, realizada ontem, segunda-feira, 16, confirmou que o Acre vai receber, nos próximos dias, a quantia de cerca de R$ 23 milhões para ações no meio ambiente e combate aos incêndios florestais. O anúncio foi feito oficialmente aos governadores da Amazônia Legal através de videoconferência.

Origem

O dinheiro que será repassado aos estados é proveniente do repatriamento de valores que foram recuperados pela Operação Lava Jato em desvios da Petrobrás. Ao todo serão 430 milhões destinados aos estados da Amazônia Legal e, desse total, metade será dividido igualitariamente entre os nove estados e repassados imediatamente.

Cronograma

Os R$ 23 milhões e 888 mil reais iniciais deverão ser investidos na fiscalização e controle ambiental e no custeio de despesas para o combate às queimadas. Os outros quase R$ 24 milhões serão liberados após a análise conjunta de prioridades dos estados, tais como: número de focos de queimada, tendo por base o ano de 2018; extensão territorial do estado e população; extensão da faixa de fronteira linear; produto interno bruto (PIB) inverso do estado e o volume de área desmatada por estado e também serão usados para ações do meio ambiente.

Mais do mesmo

Procuradores da força-tarefa da Lava Jato atuaram em 2017 para tentar derrubar o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes. As revelações são do novo capítulo da Vaza Jato, divulgadas na noite de ontem, segunda-feira, 26, pelo jornalista Reinaldo Azevedo no programa O É da Coisa, na BandNews FM.

Inspiração

A iniciativa para a redação da minuta veio da procuradora Thaméa Danelon, que é cotada pelo novo procurador-geral da República, Augusto Aras, para coordenar a Lava Jato em Brasília. Ela recebeu forte apoio do chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol, para que realizasse o trabalho.

Trama

Mensagens trocadas em maio de 2017 revelam que Thaméa foi procurada por Modesto Carvalhosa, advogado que atua no setor privado, para redigir um pedido de impeachment contra Gilmar, a fim de que ele o apresentasse.

Ação conjunta

“Oi. O professor Carvalhosa vai abrir o impeachment do Gilmar. Ele pediu para eu minutar para ele”, contou Thaméa ao chefe, Dallagnol. “Sensacional, manda ver”, respondeu Dallagnol sobre o ato ilegal. “Seu apoio é muito importante para mim”, disse a colega. “Apoiadíssima. Se quiser, podemos olhar depois de você redigir”, ofereceu ainda o chefe da força-tarefa. “Quero sim, lógico. Obrigada”, concluiu.

Orientação

Depois de uma sugestão de Dallagnol para que fizesse contato com a equipe da Lava Jato no Rio de Janeiro, que teria “tudo documentado quanto à atuação do sócio da esposa”, Thaméa citou ainda um terceiro procurador, El Hage, com quem disse ‘já estar em contato’ para lhe ajudar no trabalho. Ela se referia ao coordenador da força-tarefa no Rio, Eduardo El Hage.


gow banner p20