Poronga

Poronga

Dança das cadeiras

A especulação no meio político é que para a semana que vem, no máximo no encerramento do recesso parlamentar, ocorrerão mudanças na composição do governo de Gladson Cameli, com danças nas cadeiras de seu secretariado.

Entra e sai

As mudanças começariam pela secretária de Saúde, Mônica Feres, que não teria tido tempo, sequer, de esquentar a poltrona. Ela seria substituída pelo deputado José Bestene (PP), que já atuou no sistema como secretário no Governo de Orleir Cameli e saberia onde moram as corujas e seria, portanto, capaz de fazer desenterrar a cabeça de burro que tanto emperra o sistema de saúde, segundo definição do próprio governador.

Matando a charada

Consta que a notícia vazou porque o próprio governador Gladson Cameli teria telefonado ao primeiro suplente do PP, o deputado estadual Elson Santiago, comunicando-o da possibilidade de o político vir a assumir o cargo no lugar de José Bestene.

Ternos e tinturaria

Nenhum dos personagens quer falar abertamente sobre o fato, mas o certo é que já há quem comemore o retorno de Bestene ao órgão. Pelo sim ou pelo não, Elson Santiago foi visto levando à tinturaria os velhos e surrados ternos utilizados em sete mandatos de deputados.

Educação no cadafalso

Outro cujo cargo que estaria pela bola “as” seria o de Educação, ocupado pelo professor Mauro Sérgio. A nomeação, para uma diretoria do órgão, de Alércio Dias, político experiente, com vários mandatos de deputado federal e estadual e que, também no governo de Orleir Cameli, exerceu a pasta, fez turbinar as especulações.

Será

Pelos burburinhos dos bastidores, uma das razões do empurrão do secretário rumo ao cadafalso seria o fato de a esposa do professor mandar no órgão mais que ele. O outro problema atende pelo nome de Kelly, diretora administrativa e financeira da Secretaria, que atropela as decisões do secretário. Há quem diga que a moça é forte por ter sido uma das poucas indicações ao governo feita pelo empresário Eládio Cameli, pai do governador.

A estrela sobe

Dentro do Governo, é cada vez mais visível a estrela de Ricardo França, representante do Estado do Acre em Brasília e homem de confiança do governador Gladson Cameli, que estaria dando cada vez mais poderes ao auxiliar. Além da confiança do governador, conta a favor de Ricardo França a forma cortês com a qual ele trata a todos, a dedicação ao governo e a firmeza com a qual trata os assuntos a ele encaminhados. É habilidoso, acessível e confiável.

Inferno astral

Por se tratar de inquérito para o qual foi evocado o princípio jurídico do “segredo de Justiça”, não se pode citar nomes ou as antigas funções do acusado, mas a informação primordial, porque de interesse público, não se pode deixar de dar: está prevista, para os próximos dias, mais tardar no início da próxima semana, a prisão de um ex-grão vizir da política local.

Revisitando o cárcere

Sabendo que sua situação é por demais delicada, o cidadão já não está mais no Acre. Estaria em São Paulo, acompanhando da mãe, informam seus familiares que ficaram em Rio Branco. Mas o que se sabe é que, de São Paulo, o cidadão, ao que consta, tomou novo rumo e, quando o decreto de prisão sair, vai dar trabalho encontrá-lo. Outras pessoas, que permanecem no Acre, também devem ser presas – ou seja, voltar à prisão.

“Relevantes buracos”

Na lista das autoridades e personalidades a serem homenageadas pelo governador Gladson Cameli com a outorga da Ordem da Estrela do Acre, maior comenda do Estado está o nome da prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino. A justificativa é de que a prefeita tem “relevantes serviços prestados ao Estado”. Fosse pelos “relevantes buracos” em Tarauacá, talvez a homenagem se justificasse.

Mudança de ares

Quem está na pista, como se dizem os jovens, é o vereador Artêmio Costa, egresso do PSB. Ele procura uma nova sigla para poder concorrer à reeleição. Amigos seus informam que ele deve ir para o PP, o partido do governador Gladson Cameli.

Nome na mesa

Ainda sobre disputa municipal em Rio Branco, não se pode tirar da mesa de aposta o nome do deputado estadual José Bestene para a disputa da prefeitura, que poderia vir a ser candidato pelo PP caso outra alternativa não se concretize. Se for de fato nomeado secretário de Saúde, quando chegar em maio de 2020, o velho Zeca Bestene será forte, forte muito forte politicamente falando.

Governadores

Se tudo correr bem, pelo menos dois outros governadores – o de São Paulo, João Dória, e do Amazonas, Wilson Lima -, além do governador Gladson Cameli, hoje irão prestigiar a abertura da Expoacre 2019. Convidados por Gladson, eles teriam aceitado o convite estariam chegando ao Acre para a festa, que começa na manhã deste sábado (27). Deve vir também o governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha.

Sob nova direção

Nas redes sociais, circula um vídeo do Roxinho, de nome Paulo Cesar, falando em nome do governo sobre a Expoacre, um evento que é resultado, segundo ele, “de trabalho, muito trabalho”. Quem viu o vídeo disse que Roxinho é uma versão moderna do Dudé, o assessor governamental que mandou no setor de eventos nos últimos 20 anos nos governos da era petista.

Aético

O jornalista Reinaldo Azevedo, na Bandnews FM, divulgou na noite desta sexta-feira (26) novos diálogos do procurador Deltan Dallagnol. Ele foi contratado pela corretora XP Investimentos para palestrar sobre “Lava Jato e Eleições”.

Top secret

A conversa foi em maio de 2018, quando Débora Santos, assessora da XP Investimentos, e casada com o procurador Eduardo Pelella, ex-número dois do ex-PGR, Rodrigo Janot, convidou Dallagnol para uma reunião privada com o compromisso de que não sairia na imprensa. E ela diz que Fux, na semana anterior, havia estado na XP e elogia o evento por sua “clandestinidade”.

À margem da lei

Os trechos vazados ontem pelo Intercept compreendem de 17 de maio de 2018 a 8 de fevereiro de 2019. No diálogo com a consultora da XP Investimentos, Débora Santos, ficou claro que a regra é a clandestinidade desse tipo de evento. “Semana passada recebemos o presidente do TSE, ministro Fux, por exemplo e não saiu nenhuma nota na imprensa”, emendou para então lacrar: “Nem sobre a presença dele na XP.”

Larjan

No dia 22 de maio de 2018, Deltan foi ao que interessa perguntando se os ministros [do STF] recebem pelas palestras. “Sim, fazem parte de um projeto que vem sendo desenvolvido ao longo do ano…”, informou a consultora.

Topa tudo por dinheiro

No novo pacote de revelações do Intercept, Deltan Dallagnol e seus colegas discutiram o potencial risco para suas imagens ao se sentarem com banqueiros, mas acabaram decidindo que valia a pena; “Achamos que há risco sim, mas que o risco tá bem pago rs”, escreveu Dallagnol em um chat o procurador Roberson Pozzobon, em fevereiro de 2018


gow banner p20