Poronga

Poronga

Recuo elogiável

Depois de a licitação do aluguel do avião a jato ter sido homologada pelo Gabinete Civil do Governo do Acre, o que já permitiria ao governador a utilização da aeronave, consta que Gladson Cameli (PP) determinou que o certame fosse revogado, em atendimento ao clamor popular que condenava o uso da aeronave nos moldes e finalidades descritas no edital.

Reflexão

Concretizada a determinação do governador Gladson em ordenar o cancelamento da medida administrativa que prevê a contratação da aeronave, ao contrario de enxergarmos tibieza na ação do governante, devemos é imergir na reflexão do médico-psiquiatra brasileiro Roberto Shinyashiki: ‘Na simplicidade aprendemos que reconhecer um erro não nos diminui, mas nos engrandece, e que as pessoas não existem para nos admirar, mas para compartilhar conosco a beleza da existência’.

Posição

Enquanto isso, em Rio Branco, o vereador e advogado Emerson Jarude (Sem Partido) vive em compasso de espera. Autor da ação popular impetrada na Justiça que visa anular a licitação para a contratação do avião. A espera do edil é porque a juiz que recebeu a ação, da Fazenda Pública, Zenair Ferreira Bueno, deu 72 horas para que o gabinete do governador se manifestasse sobre a necessidade de contratação do avião, prazo que ainda não venceu.

Outro posicionamento

O Ministério Público também tem o mesmo prazo para se manifestar, quando então a juíza anunciará sua decisão. Caso haja o cancelamento do certame, a ação de Jarude perde o objeto. É o velho axioma: não se pode matar o morto.

O ambientalista

O senador Márcio Bittar (DEM-AC), apontado por lideranças do movimento ambientalistas - como a filha de Chico Mendes, Ângela Mendes -, como uma espécie de apoiador dos predadores da Amazônia, veio a público empunhando a bandeira da preservação.

Engajamento

Ontem, 24, em entrevista à TV Rio Branco, repetidora do SBT, ele propôs a arborização do Parque da Maternidade, no centro da Capital. Apontou que o canal é arborizado apenas em alguns trechos e disse que se recebesse plantas em toda a sua extensão, seria algo, além de belo, muito útil à urbanização do canal. E foi além: ofereceu-se para ajudar, ele próprio, buscando meios para doações de árvores a serem plantadas ao longo do parque. Bela iniciativa!

Sangue puro

Ainda na entrevista de Márcio Bittar, o senador chega a demonstrar irritação diante das informações de que o governador Gladson Cameli vive a fazer acenos adulando a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, para que esta venha a ser candidata à reeleição com seu apoio, por um dos partidos de sua coligação – PP, PSDB, DEM, MDB e PTB, além do Solidariedade.

Questão de racionalidade

Bittar tem dito que nada tem contra a prefeita, mas lembra que, na campanha eleitoral, ela estava em outro pólo, defendendo o adversário do próprio Gladson Cameli e de seus candidatos ao Senado, e que em Brasiléia a oposição terá candidato a prefeito.

Tarefa árdua

Duro para o senador será encontrar em Brasiléia tal candidato, principalmente em seu MDB. Por lá, entre os emedebistas, os que ainda não foram presos por malversação em verbas públicas na época em que comandavam o município, estão sob investigação e correndo o risco de irem para a prisão. Isso, sem contar os que fizeram campanha em 2018 utilizando uma indigesta tornozeleira eletrônica

Novo cavalo de batalha

Assim que voltar às atividades, a juíza Luana Campos, da Vara das Execuções Penais da Comarca de Rio Branco, deverá enfrentar um novo cavalo de batalha. Ela deve bater de frente com o vice-governador Wherles Rocha. A briga será pelo prédio onde hoje está instalada a chamada UP-4, prisão conhecida como “Papudinha”, no Residencial Ipê, onde ficam presos menos perigosos.

Mudança de finalidade

O vice-governador quer o local para servir de sede ao Bope, grupamento especial da Polícia Militar que está situado exatamente nos fundos da “Papudinha” e que há tempos reivindica o espaço para melhorar suas instalações.

Cabo de guerra

O vice-governador, que é Major aposentado e que também é uma espécie de secretário de segurança especial do atual governo, já sinalizou que quer o espaço para atender a seus ex-colegas de farda, mas a juíza já mandou a avisar que é contra. Como Major Rocha e Luana Campos são tidos como ossos duro de roer, o cabo de guerra já deve vir sendo tecido faz dias.

Kramer vs. Kramer

O senador Sérgio Petecão (PSD-AC), que vem fazendo de tudo para não se envolver na disputa das eleições municipais do ano que vem em todo o Estado, parece que não vai conseguir livrar-se de uma disputa bem no quintal de sua fazenda, a “Boi Cagão”, situada em Rio Branco. É que por lá devem disputar, voto a voto e palmo a palmo, a vereadora Lene Petecão, irmã do senador e que deve ser candidata à reeleição, e o anão Jack Montana, amigo de longas datas do parlamentar.

Precipitação

O anão preferido de Petecão já anda a pedir votos e não esconde que vai disputar o mandato dentro do PSD com a irmã de seu amigo e já se considera eleito. Olha que vaidade gigante!? As apostas estão lançadas.

Catiripapos

Lene Petecão, por sua vez, foi apontada como a vereadora mais produtiva de Rio Branco neste primeiro semestre de 2019. Mesmo vendo o anãozinho invadindo sua capilaridade eleitoral, mantém-se tranquila. Pelo menos aparentemente. Há quem diga, no entanto, que intramuros a vereadora já manifestou vontade de dar uns catiripapos no enxerido do anão do Senador.

Benefícios na fronteira

Em Assis Brasil, município na fronteira do Alto Acre com o Peru, o prefeito Antônio Barbosa, o “Zum”, e boa parte da população estão em festa e tecendo loas ao governador Gladson Cameli e ao vice Wherles Rocha. Tudo porque o prefeito vai por as mãos em pelo menos R$ 5 milhões para investimentos em obras na cidade.

Recall

Os recursos chegarão ao município através de emendas da época em que Rocha era deputado federal e alocou recursos para Assis Brasil, a fim de atender a seu aliado de PSDB, o prefeito Zum, com recursos para obras.

Obras e investimentos

Com os recursos em Assis Brasil, devem ser executados, já a partir dos próximos meses, um pacote de serviços que deve incluir a Praça da Bandeira, da pavimentação asfáltica das Ruas Rafael Martins Leão e Juvenal Duarte, no bairro Bela Vista.

Gesto simbólico

Gladson e Rocha estiveram no município no início da semana e entregaram ao prefeito, simbolicamente, a chave de um dos 39 módulos sanitários domiciliares a serem construídos para famílias de baixa renda, principalmente no bairro Bela Vista, considerado uma das regiões mais carentes de infraestrutura urbana em Assis Brasil.


gow banner p20